Carteira de Aptidão Profissional: profissionais do volante acham que é inaceitável

7/12/2012 00:39 - Modificado em 7/12/2012 00:39

Associação dos taxistas de São Vicente e a de defesa dos proprietários de Hiaces recusam-se a receber a Carteira de Aptidão Profissional, ambas justificam que devido a condição recente que exige mais formação para obterem a carteira. A insatisfação é colectiva e Direcção-geral dos Transportes Rodoviários na Praia já tem conhecimento e caso não haja uma resolução prometem analisar outras formas de luta.

 

De acordo com a RCV, Os taxistas de São Vicente recusam-se a receber Carteira de Aptidão Profissional. Uma atitude conjunta envolvendo a Associação dos taxistas e a Associação de defesa dos proprietários de Hiaces e justificada pela condição recente que exige, segundo a classe, mais formação para se poder ter a carteira. A insatisfação é colectiva e já foi encaminhada, por e-mail, á Direcção-geral dos Transportes Rodoviários na Praia.

Descontentes com a DGTR na Praia e com a delegação de São Vicente, Manuel Fortes, presidente da Associação dos taxistas de São Vicente, refere que a situação afecta negativamente a classe e por isso recusa receber a Carteira de Aptidão Profissional e afirma que “recusamos e vamos onde conseguirmos com a revindicação”. Assim como a associação dos proprietários de Hiaces mantém a mesma posição. Félix Rocha declara que “que Carteira actual é atribuída mediante a categoria que se está a trabalhar no momento e despromove a nossa categoria adquirida. Contribuiu para o desemprego, mais custos, logo é inaceitável.”

A carteira foi dividida em três categorias e até uma decisão final os condutores utilizam a provisória válida até Fevereiro do próximo ano. As associações aguardam uma decisão e uma resposta da Direcção-geral dos Transportes Rodoviários na Praia. Caso o impasse se mantenha prometem analisar outras formas de luta.

  1. HL

    Essa invenção de carteira profissional foi pensado para alguém ganhar muito dinheiro. E os taxistas e profissionais do volante embarcam nessa, que tem de aprender a falar inglês porque? porque não chinês francês, holandês alemão, japonês, espanhol, italiano, russo….. etc.. e nem sabem falar português correcto, tem que ter noções de geografia, quando temos duas estradas numa ilha e outras asneiras que inventam para ganhar dinheiro,. pura palhaçaria, somente em C.V . Curso Sup de condução?

  2. ***

    Então não sabes porqué? O inglês é um idioma internacional, qualquer um fala e intende.

  3. Silva

    Fazé reciclagem dos condutores é normal, mas não pagando o mesmo valor da carta de condução já feita. Esse é um roubo entre esses Directores de viação q muitas vezes és é també sócio dessas escolas de condução.És, és ta ganhá sempre, coitado é do trabalhador q tem de ba buscá dnhér ondé q el catem qé ainda Director de viação te mandá Policia pa estrada pa invés de ajudá condutores, és ta ba robá sés parte també, aplicando multas a torto e a direito, qé es tem sis comissão també.Depois nô ta oiás condutores saíd desses reciclagens ta cometé os mesmos erros de antes. Afinál ukia qés préndé ou então ukia q és foi ensinado. Nada mas du q jás sabia. É apenas um estratégia de estorção bem montód..

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.