Batuque campeão porque quem não quis ofereceu a quem quis

23/04/2012 00:19 - Modificado em 23/04/2012 16:24

O Batuque FC sagrou-se campeão Regional de São Vicente ao derrotar o CS Mindelense por 1-0. O médio axadrezado, Fredson foi o herói do jogo, porque nos segundos finais da partida fez um golo magistral que gelou por completo as aspirações do Mindelense. Com esta vitória, o Batuque conquista pela quarta vez o título regional, sendo a segunda vez que conquista o troféu as custas do Mindelense.

No jogo entre o Mindelense e o Batuque da 14ª jornada, o Estádio Adérito Sena registou-se a maior assistência da época 2011/12. As bancadas estavam apinhadas de pessoas que afluíram ao estádio para apoiar o seu clube. Do lado Sul via-se uma onda vermelha que compunha a claque do Mindelense. Por seu lado, os adeptos do Batuque fixaram-se na bancada Central para encorajar a sua equipa.

A história final do jogo reflecte-se na forma como a equipa do Mindelense encarou o seu adversário. Os Leões da Rua da Praia foram passivos ao ponto de estarem satisfeitos com o empate que reinava a trinta segundos do apito final do árbitro. Mas o médio do Batuque, Fredson demonstrou que no futebol quem não quer, oferece a  quem quer. Por isso aos 93´ retirou o “título” das mãos do Mindelense para presentear o colectivo do Batuque.

Hoje a festa é da equipa Batuque e não dos adeptos do Mindelense que festejaram o título sem o apito final. O xeque-mate dos axadrezados foi fatal, já que o Mindelense dormiu a sombra da bananeira. Como aconteceu em 2010, os axadrezados voltaram a ser campeões na última jornada e o adversário que lhe entregou de novo as faixas de campeão, é o Mindelense.

Jogo

O árbitro Victor Lima apitou para arranque da partida às 16h25, após um minuto de silêncio, em memória ao falecido, sócio e adepto ferrenho do clube Ponta D´Pom, Bomba. A primeira parte da partida resume-se num jogo onde as duas equipas primaram pela circulação da bola com objectivo de chegar com perigo a área contrária. Porém de realçar que foi o Mindelense quem teve mais bola e teve nos pés o lance de maior perigo.
Aos 21’ o lateral direito, Tartá ganhou um ressalto de bola e de cabeça serviu Nhambú que chutou para defesa primorosa do guarda-redes, Ken que assim evitou o golo do Mindelense. Por seu lado o técnico Piki não gostava da forma como os jogadores encaravam o jogo, enquanto Almara ia dando indicações para dentro de campo. O intervalo chegou com um nulo e os dois treinadores reuniram-se com os jogadores a fim de definirem uma nova estratégia para a segunda parte.

Adir tenta desequilibrar

No reatar da segunda parte do encontro, Almara deixou Barão de fora e fez entrar o extremo Adir na direita. Foi nesse lado do campo que aos 48´ minutos, Adir fintou o capitão do Batuque, Dai e este puxou-lhe pela camisola para evitar que o extremo prosseguisse com a bola. O árbitro não exibiu o segundo cartão amarelo ao lateral esquerdo a pedido dos jogadores do Mindelense. Porém parece que Victor Lima agiu bem em utilizar da pedagogia para repreender Dai, invés de puni-lo com o cartão vermelho.
O técnico do Batuque, Piki pressentiu que Adir iria dar muitas dores de cabeça ao capitão, por isso retirou-o e lançou Zimbabué no jogo. Porém foi este jovem dos escalões de formação que ficou com a batata quente nas mãos. Zimbabué em diversos lances provou da magia de Adir, de realçar um chapelada na linha de fundo que irá ficar guardado no álbum de fintas do extremo do Mindelense.
O desenrolar da segunda parte teve mais ritmo e mais trabalho para os eixos defensivos das duas equipas. Do lado do Mindelense, Adir pegava na bola e levava a equipa para o ataque. No Batuque o médio, Fredson era o mais irrequieto, pois sabia que o empate não servia os interesses do clube. Aos 69´, Adir passou a bola para Tartá que fez um cruzamento com peso e medida e o avançado Mailô esteve a centímetros de fazer funcionar o placard

Mailô falha

Na resposta, o Batuque esteve perto de marcar por intermédio de Ivan que antecipou os defesas do Mindelense, mas chutou a figura de Rilly. O lance sucedeu-se aos 75´ através de um cruzamento de Fredson no lado esquerdo do ataque. Os minutos iam-se passando e o resultado mantinha-se no zero a zero, uma situação que interessava o Mindelense. Foi nesse sentido que Almara abdicou do avançado Mailô lançando o médio Betch para refrescar o seu meio-campo.

Golpe

O Batuque tentava mudar o rumo da situação e procurava de forma desesperada  um resultado que garantisse a conquista do Regional. O minuto noventa chegou e o árbitro concedeu mais quatros minutos. A partir desse tempo os axadrezados instalaram-se na área do Mindelense. Fora das quatro linhas ouvia-se os adeptos do Mindelense a festejarem a revalidação do título.
Mas a trinta segundo do apito final, Fredson silenciou os cânticos da claque do Mindelense com um cruzamento para a área contrária que apanhou de surpresa, Rilly e companhia. Fredson fez o golo que valeu o quarto título para o Batuque… e no final a festa foi dos axadrezados que deram uma lição ao Mindelense demonstrando que no futebol quem não quer, oferece a quem quer.

  1. Nao e tao assim… e nem foi aos 93 … passaram mt mais do que isso… o Batuque fez o seu jogo sim… mas como e que um arbitro que na semana passada reprovou nos testes da FIFA… por falta de condiccoes fisicas e psicologica…. vem a apitar um jogo deste … fiquei com mt duvida deste arbitro… se foi eleito o melhor trio do ano passado… era eles e que devia apitar este jogo… eu nao entende pq na 1 volta foi ele quem apitou o jogo entre os dois…
    Mas deve dar os parabens ao batuque ..

  2. Na arbitragem nao deve ter favores nem amizade ….deve apitar aquele que tiver melhores condiccoes… estou mt desconfiado … desde jogo…. ate me lembra de um jogo entre Batuque e Amarante… ainda no campo te Torrada apitado por um outro arbitro que tb era internacional mas que nao vive mais nesse pais…

  3. precisamos de arbitros credenciados e que tem um grau de escolaridade… pq na arbitragem em sao vicente esta com mt amizade… na epoca passa vimos grandes jovens arbitros… que nao tiveram nenhuma chance no nacional….

  4. leo

    Mim tava na comp tb,, arbitro ca teve influenncia nenhum na resultado ao inves ALMARA, ma se cobardia,,, ma tra de jog se unico avançado,,,, pa mete equipa dentro de se area, onde e melhor defesa num jog eh equipa na ataque..

  5. Tuta

    …quem não marca sofre …parabéns Batuque. Mindelense desde pepino, vi as as glórias dos ’80 com o eterno Tchida … sempre ao ataque! O Mindelense, o Manchester, o Benfica nunca foram talhadas a defender! Cada treinador usa da melhore arma que tem: “escudos” outros “artilharia”. O Mourinho por onde passou era defesa coesa contra-ataque mortífero. Mas isso treina-se e muito! Mandem o Barça, Milan ou Bayern fazerem isso. Acredito na revisão táctica do Almara no Nacional. Mindelense = ATACAR!

  6. Valter Faial

    A culpa é do Jorge Faial… LOL… bsot adepto de Mindelense é sempre assim, bsot tem que espia bode espiatorio… tud vez que bsot ta perde um jogo, bsot tem que pta culpa na arbitro… Sr Silva, bem dzem onde que J. Faial teve culpa nesse jogo desse fim de semana… saudações de New Jersey/USA

  7. vavuca

    min ta sinti triste quand algem num campo de futebol ta oia um jogo, pal ca ter um opinião proprio na final. só pq algem dze k golo d batuque acontece fora d temp regulamentar, pessoas preferi ignora tud k acontece e crucifica kes arbitro k tava la, em vez d equipa d mindelense de forma infantil kel sofre kel golo, com tres falhas defensivas: 1 no lateral-direito k podia corta bola p linha lateral, 2 nhambu e 3 guarda-redes, ou o arbitro tinha k ba pa balisa defende kel golo. bzot presta atenção.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.