Assassinato do cidadão francês: autores do crime condenados a 22 anos de prisão

5/12/2012 03:57 - Modificado em 5/12/2012 03:57

Hélio Delgado e Rivan das Neves foram condenados pelo assassinato do cidadão francês, José Pelaez nos ex-estaleiros da ONAVE. O juiz considerou a acção dos indivíduos de uma violência selvática e aplicou-lhes uma pena de 18 anos por terem causado a morte da vítima, no entanto, os arguidos terão que cumprir uma pena única de 22 anos de prisão porque contra eles pesou ainda uma condenação de um crime de roubo.

 

O caso da morte do cidadão francês, Jose Pelaez, de 69 anos nos ex-estaleiros da ONAVE conheceu o seu desfecho final com a condenação dos dois indivíduos acusados da prática do crime. O magistrado que procedeu ao julgamento dos arguidos, Hélio e Rivan afirmou que o tribunal obteve provas de que estes cometeram um crime de homicídio agravado em concurso com um crime de roubo.

De acordo com o juiz “não se provou quem agrediu primeiro a vítima, mas pelas provas produzidas apurou-se que os dois indivíduos foram responsáveis pelas agressões que determinaram a morte de Jose Pelaez. Pela barbaridade do crime vê-se que os arguidos consumaram a sua acção com uma violência selvática, pelo que a vítima teve uma morte amargurada e martirizada”.

Por outro lado, o juiz invocou como meio de prova, as declarações do cidadão Domingos Neves que acompanhou os indivíduos na noite do crime e no dia seguinte quando o corpo foi descoberto pelas autoridades. Perante o tribunal, Domingos disse que Hélio e Rivan comentaram entre si que a sua acção resultou na morte de Pelaez.

Desta forma, o magistrado anunciou a decisão final do Tribunal, de condenar os arguidos a uma pena de 18 anos de prisão pelo crime de homicídio agravado e de oito anos por terem subtraído objectos do iate da vítima. Feito o cúmulo jurídico, o Juízo Crime aplicou-lhes uma pena única de 22 anos.

 

Receptação

Por sua vez, Domingos Neves foi condenado a três anos de prisão por receptar produtos subtraídos do iate da vítima. De realçar que a pena foi suspensa por um período de três anos e que na noite do crime, este arguido acompanhou os autores da morte de Jose recebendo um convite para assaltar o iate da vítima, mas recusou-se para evitar problemas com a polícia.

  1. Hermes

    Muito bem, o Sr. Juiz tem nota 10, nao brinca em serviço como os outros

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.