Cruzeiros volta às vitórias

23/04/2012 00:07 - Modificado em 22/04/2012 23:48
| Comentários fechados em Cruzeiros volta às vitórias

Com esforço e Zé Enguila no campo os Cruzeiros tiveram que suar muito para bater a equipa dos Tigers. Num jogo que poderia ter caído para um dos lados o Cruzeiros venceu por 64-62. Com essa vitória interrompe uma serie de três jogos sem vencer. Bolinha, que foi castigado com oitos jogos, deixou um vazio na posição de base que levou Zé Enguila a sair da posição de treinador.

O Cruzeiros entrou forte no jogo criando um parcial de 6-0. Mas, a equipa dos tigres voltou a luta e conseguiram empatar e passar para frente ainda no primeiro período. Mas, foi algo efémero neste período já que o Cruzeiros terminou a primeira parte vencendo por 30-22.

O Cruzeiros entrou na segunda parte sem uma base de raiz, o que criou problemas na equipa na organização do jogo atacante. Sapo foi o jogador em destaque nos Cruzeiros com constantes penetrações. Nesse período contribui com seis pontos para a sua equipa. Roni e Badis do outro lado mantinham os Tigers na luta fazendo com que a vantagem fosse apenas de cinco pontos na entrada do último e decisivo período.

No momento da decisão o Cruzeiros tremeu. Os jogadores entraram algo desorientados no quarto período e possibilitou o empate do Tigers. Com um triplo a equipa dos tigres empataram e Badis com mais dois pontos aumentou a vantagem. Este foi suficiente para o Cruzeiros parar o encontro e redefinir estratégia.

A ganhar por 5 pontos os Tigers não souberam guardar a vantagem. Com lançamentos disparatados e com uma defesa a zona cheia de buracos, em menos de dois minutos passou de uma vantagem de cinco pontos para uma desvantagem de dois. No momento de decisão apareceu o talento e génio de Zé Enguila que com dois triplos deu ânimo e direcção a equipa. Um desses triplos deu uma vantagem de dois pontos que conseguiram guardar até o final.

Académica vence Progresso com… tiro ao boneco

O líder Académica venceu o Progresso por uma margem de pontos comfortaval,30 pontos, com o placar a marcar 64-34. Apesar da vitória a equipa jogou nervosa um pouco desorientada. Talvez foi a estreia de equipamentos que pesou nos ombros desses jovens jogadores. Em nenhum momento a vantagem pontual esteve em risco, mas o Progresso não deixou de atacar e tentar marcar.

O primeiro período foi um autêntico tiro ao boneco com as duas equipas a lançarem muito mas sem resultado. A pontuação no final deste período espelha o pouco acerto, 13-8 à favor da Académica. A académica no segundo período duplicou a vantagem, mas o acerto para ambos ainda não era o desejado. Na primeira parte Jason e Anderson para Académica e Sarda e Batata para o Progresso eram os que mais acertavam.

Na segunda parte o ritmo foi mais intenso, com uma quebra no final do jogo já que com a vitória garantida Kula rodou toda a equipa. Aos poucos foi alargando a vantagem. Marcou o regresso em campo de Kenny que por lesão passou largos meses afastado da quadra. Nas últimas convocatória não tinha jogado por precaução. Entrou e contribui com apenas um ponto.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.