Apanha do pepino-do-mar: mergulhador está sem movimento nas pernas

3/12/2012 01:23 - Modificado em 3/12/2012 01:31

O mergulhador da localidade de São Pedro que sofreu uma embolia gasosa durante a apanha de pepino-do-mar na região do Ilhéu dos Pássaros  encontra-se  internado nos serviços de Medicina do HBS. Segundo o que apuramos, o seu  estado clínico é estável, mas não apresenta de movimento nas pernas.

Na passada quarta-feira, por volta das 13 horas, Irineu Pires Delgado sofreu uma indisposição quando apanhava pepino-do-mar com um grupo de pescadores na zona sul do Ilhéu dos Pássaros. Durante o mergulho para apanhar esse molusco, este mergulhador de 33 anos acabou por sofrer uma descompressão no corpo.

Irineu Delgado foi conduzido ao Hospital Baptista Sousa onde ficou sob observação médica nos Cuidados Intensivos do Banco de Urgência. Depois de algumas horas, o mergulhador foi transferido para a secção de  Medicina com lesões graves no corpo que lhe provocaram paralisia nas pernas.

Angústia

O incidente que atirou Irineu para uma cama de hospital abalou a sua família que vive dias conturbados, na medida que o mergulhador poderá ficar com sequelas da lesão sofrida durante o mergulho.

Teresa Pires, mãe da vítima demonstrou estar preocupada e diz que “é com sofrimento que estamos a lidar com esta situação. Não é fácil ver-lhe prostrado numa cama com uma paralisia sofrida durante o exercício da sua profissão. Estamos a apoia-lo nesta fase difícil da sua vida, porque a nossa aspiração é que um dia ele possa se  recuperar da lesão”.

A nossa entrevistada conclui dizendo que mantém a esperança de ver o filho sem dependência de muletas ou de uma cadeira de rodas. E uma das soluções para ultrapassar a situação passará por uma participação activa no processo de recuperação do mergulhador.

Por outro lado, Teresa Pires defende que caso o filho recupere da lesão vai aconselhar-lhe a procurar outra profissão, porque o incidente foi um sinal de alerta de que o próximo mergulho poderá ser o mergulho para a morte.

 

  1. Lubrito

    Parece que em São Vicente,não se sabe tratar de uma embolia derivada de mergulho.Contactem uma escola de mergulho,e darão as informações necessárias,ou contactem o sr Munaia na Praia.Em outras latitudes,costumam levar o lesado a um novo mergulho,e passar por um período de descompressão devagar e por etapas.Não sou especialista nesse assunto mas é o que tenho lido em outros casos semelhantes.

  2. Soraia Dias

    Todos nos estamos dispostos a sofrer acidentes no exercício das nossas funções, pois temos responsabilidades, temos filhos para sustentar, se não arriscarmos quem vai arriscar por eles…cada um desempenha a função que esta capacitado…infelizmente isso aconteceu…. espero que recuperas, pois tens a tua família aqui a apoiar-te e Deus vai te ajudar pq mereces…força meu primo querido!

  3. Baldoque

    A apanha do pepino do mar é proibida. Ele sabia.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.