Impacto ambiental na praia da Laginha pode ser terrível

23/04/2012 00:01 - Modificado em 22/04/2012 22:34

A Laginha constituiu um alvo da preocupação do Presidente da CMSV. Isto devido ao negócio da privatização da CABNAVE entre os governos de Cabo Verde e da China. Conhecendo a situação difícil da empresa, Neves acredita que não são os chineses que vão resolver o problema. E mostra-se preocupado com o impacto ambiental do projecto na praia da Laginha. Cita os vazamentos de óleo junto do lugar onde a Electra faz a captação de água para dessalinização.

A Câmara Municipal de São Vicente através do seu presidente, Augusto Neves, mostra-se, também, preocupada com o projecto de acesso norte do Porto Grande. Isto porque segundo o edil o percurso que os veículos de transporte de contentores previsto no projecto será feita numa zona de grande densidade de estudantes.

Alem de perturbar o trânsito dentro da cidade, para Neves, esse projecto representa um nível de insegurança para os cerca de três mil estudantes que circulam neste percurso. Aceita que o projecto possa ser de interesse para a ilha mas defende que a CMSV não se demite da ” protecção e salvaguarda dos interesses dos munícipes e da ilha”.

Neves defende a sua posição enumerando os lugares em que os veículos passarão a circular a“ subida da Escola Técnica, Instituto Pedagógico, comando da polícia, Escola da Praça Nova, acesso a Escola Jorge barbosa, acesso a universidade lusófona frente ao palácio do palácio do povo e da Justiça” afectando também a zona da Laginha.

  1. Sandy

    Se o povo de SV não determinar em resolver esta questão, acabará por não resolver nada até a os chineses apossar-se da CABNAV, será um autêntico desastre após a tomada.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.