Julgamento de ex-sub-gerente da Caixa Económica: arguido nega todas as acusações

17/10/2018 23:23 - Modificado em 17/10/2018 23:23

Recomeçou esta manhã o julgamento de Herberto Rodrigues “Bety” que vem acusado de abuso de confiança, falsificação de documentos e burla informática qualificada. Isto na sequência do alegado desvio de 280 mil euros do cofre da agência da Caixa Económica na Rua 5 de Julho no Mindelo. Durante a sessão desta manhã o ex-subgerente da Caixa Económica no Mindelo refutou todas as acusações que lhe são imputadas.

De acordo com o processo, o ex-subgerente da CECV, em Novembro de 2001, no nome de Manuel Nascimento Ambrósio, abriu uma conta “estratégica”, que segundo a acusação, de onde o acusado movimentava 31 milhões de escudos. Questionado sobre isso, negou ter criado tal conta. Alegou que as aberturas de conta passam por um processo de controlo e caso falte algum documento é logo enviado um relatório à direcção dando conta do sucedido.

Sobre as alegadas transferências feitas de contas de outros clientes, também nega estas operações. E defende-se questionando, se fez algo assim como é que passados tantos anos nunca ninguém reclamou.

Interrogatório durou toda a manhã com o arguido a negar cada um dos pontos da acusação. A dada altura o juíz questionou o arguido se a acusação é “uma ficção criada pela instituição bancária” para o prejudicar ao que este respondeu que o havia motivos, citando uma denúncia feita no jornal A Semana sobre alegadas irregularidades práticadas pela instituição.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.