Vereadora Solange Neves “as denúncias sobre o mercado do peixe são infundadas“

17/10/2018 23:16 - Modificado em 17/10/2018 23:16

Em reacção às denúncias feitas pelas peixeiras sobre a falta de condições de higiene no Mercado de Peixe, Solange Neves, vereadora da Câmara Municipal de São Vicente responsável pelos mercados nega as declarações das peixeiras. Afirma que existe uma equipa que trabalha em todos os mercados e, tratando-se o mercado de peixe de um dos locais mais frequentados e onde se lida com peixe, a questão da higiene é mais levada em conta.

Solange Neves avança que, por ser uma zona muito crítica, existe no local uma equipa com quatro seguranças, cinco pessoas que tratam da limpeza diariamente e dois controladores. Garante que, constantemente, a Câmara tem efectuado visitas no local, pessoalmente feitos por ela e que após a denúncia feita por este online, a sua equipa deslocou-se ao local, não tendo constatado em nada as declarações feitas, sobre o mau cheiro descrito pelas vendedeiras, como sendo “um insuportável odor”, segundo elas provocado pela calamitosa limpeza e mau funcionamento das camaras de conserva de pescado.

Camaras de pescado que segundo ela, foram remodeladas de colocadas a pronto para ajudar na conservação do peixe, contrariamente ás declarações das vendedeiras. As camaras, conforme Solange Neves, servem para a refrigeração do pescado e não para o seu congelamento. Como tal, segundo a vereadora, a edilidade não é responsável pela perda de pescados. “Em 2016 todas as vendedeiras foram notificadas que as camaras servem apenas para a refrigeração do pescado e que a Câmara Municipal apenas se responsabiliza pelo que acontecer durante este período, que tem um tempo de 24 horas”.

Por isso, diz que elas tem que arranjar forma de congelar e proteger os seus produtos. “O custo de mercado é elevado e pagam 5 escudos por cada quilo de peixe colocado na camara e temos despesas enormes. O que pagam não cobre nem a metade das despesas”.

Portanto, quem deixar o peixe conservado no local mais tempo, é da sua responsabilidade, caso aconteça algo, como por exemplo a falta de energia que pode colocar em causa o produto.

Em relação aos materiais de limpeza, garante que a equipa que trabalha no local, faz requisição mensal, e que o mau cheiro, muitas vezes vem dos arredores, da estação na parte de trás do local e também de uma outra situação que a edilidade vem tentando pôr cobro, como é o caso dos tratadores ilegais, que fazem os seus trabalhos nos arredores do mercado, contribuindo para o mau cheiro.

Sobre as reivindicações assegura que existe um projecto de remodelação do mercado e também do cais de descarga.

  1. Joao de Monte

    Minha senhora, variadora de camara municipal, o nosso mercado de peixe e uma autentica vergonha de higiene e saude publico, moscas, mau cheiro e o pior sao os peixes sem gelo numa temparatura tropical, ate quando que vamos usar gelos obrigatoriamente?
    Um rijo abraco caboverdeano.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.