OGE: o país pintado de negro por Veiga

30/11/2012 23:11 - Modificado em 30/11/2012 23:24

Carlos Veiga, presidente do MpD, traçou um quadro negro do país no Parlamento, durante a discussão do Orçamento Geral de Estado para 2013.

 

Para Veiga “o retrato real do país é o de um crescimento da actividade económica insuficiente, cada vez mais débil e já abaixo da média da nossa sub-região; de desemprego em espiral de subida, sobretudo entre os jovens e licenciados; de diminuição constante do rendimento disponível das famílias e empresas e do poder de compra das pessoas; de empresas nacionais sufocadas ou já falidas e a fechar; de crédito mal parado a disparar e de bancos com dificuldades crescentes para conceder crédito ao sector privado e às famílias; de salários congelados e custo de vida elevado para a maior parte da população”.

Um quadro negro que no entender de Veiga tem um único responsável: “o governo que depois de 12 anos e de cerca de 440 milhões de contos de despesas, foi incapaz de encontrar soluções para qualquer um desses problemas fundamentais para o país e para a generalidade dos cabo-verdianos. Pelo contrário, todos eles se agravaram ao longo desses 12 anos!

 

Degradação das Finanças Públicas

 

Para Carlos Veiga nem a crise financeira internacional serve de desculpa para o governo do PAICV, pois segundo disse, “A degradação da nossa situação, designadamente das nossas finanças públicas não foi obra do acaso, nem causada pela crise internacional: as variáveis mais sensíveis às oscilações internacionais até evoluíram positivamente em plena crise (caso das receitas do turismo e das exportações e das remessas dos emigrantes); e quando não, as razões determinantes foram outras de origem interna ou sem relação com a crise internacional (IDE e donativos externos).

  1. sereadade

    continuo a espera da opinião do dr. carlos veiga sobre o aumento brutal do iup ca na cidade da praia

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.