São Vicente: Faltam pílulas contraceptivas em centros de saúde

26/09/2018 17:32 - Modificado em 26/09/2018 17:32
| Comentários fechados em São Vicente: Faltam pílulas contraceptivas em centros de saúde

 A falta de pílulas contaceptivas na maioria dos centros de saúde do Mindelo é uma situação que se arrasta à dois meses.  Porém, os responsáveis dessas unidades de saúde adiantam que a situação estará resolvida no princípio de Outubro. Esta situação vem causando bastantes constrangimentos às jovens que procuram os centros de saúde para fazer o seu acompanhamento.

O contraceptivo em questão é a pílula Microginon, uma das mais utilizadas pelas mulheres como contraceptivo e normalmente é fornecido nos centros de saúde, mediante um pagamento de cem escudos e em três carteiras para serem usadas em três meses.

A situação só não é tão grave porque o medicamento em questão, que é fornecido  pela Direcção-Geral de Farmácias, pode ser adquerido nas farmácias da ilha.

Um “constrangimento” que, segundo a responsável pelo sector de Saúde Reprodutiva do Centro de Saúde de Bela Vista, Emely Santos, acontece “pela primeira vez”.

“Nunca tinha acontecido antes, mas temos feito todos os esforços para o contornar”, explicou Emely Santos que, mesmo assim, não sabe explicar a razão desta ruptura de ‘stock’ que, acrescentou, abrange apenas as pílulas da marca Microginon, por sinal a mais utilizada pelas mulheres.

Por outro lado, ajuntou, recomenda-se também a experimentação de outros métodos contraceptivos.

“Há outros métodos mais seguros e de longa duração como injectáveis, implantes e dispositivos intra-uterinos que as pessoas podem optar e as mulheres que sabem que devem se prevenir contra gravidez, têm feito outras escolhas”, assegurou Emely Santos, com garantia de “uma grande adesão” para esses outros métodos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.