Dia sangrento em Espanha. Violência machista faz quatro mortos em nove horas

26/09/2018 10:51 - Modificado em 26/09/2018 10:51
| Comentários fechados em Dia sangrento em Espanha. Violência machista faz quatro mortos em nove horas

Quatro assassinatos violentos em apenas nove horas. Duas mulheres e duas crianças morreram às mãos do terror machista em Espanha. Um dia negro, que aumenta para 40 – 37 mulheres e três menores – o número de vítimas mortais deste tipo de casos, só em 2018.

O primeiro alerta do dia apontou a atenção para a zona de Valência. Logo às cinco horas da manhã, um homem de 48 anos matou as filhas, de apenas dois e seis anos, na própria casa. Depois da matança, precipitou-se da janela do sexta andar e suicidou-se. O corpo do homem foi encontrado por um popular. O pânico instalou-se de imediato com os vizinhos a alertaram as autoridades sobre o silêncio do interior do prédio onde as duas meninas estariam. Quando os bombeiros irromperam casa adentro, encontraram as crianças já sem vida.

“Um golpe terrível”e “um ato de vingança” contra a mãe, disse, Mónica Oltra, conselheira da Comissão de igualdade e Políticas Inclusivas da Comunidade Valenciana. É que o casal estava separado há um ano e o homem enfrentava graves problemas financeiros, diz o “El Español”.

Itzar, de 42 anos, já tinha feito queixa de violência contra o ex-companheiro. O Tribunal de Valência tem dois processos relacionados com o casal. Ambos foram arquivados, a pedido do procurador e da vítima, que nos dois casos se recusou a testemunhar contra o pai das suas filhas.

Ainda o país estava a recuperar do rude golpe com que acordou quando, em Granada, às 9 horas, um homem de 49 anos mata a companheira, dez anos mais nova. O homem, sem qualquer antecedente criminal, foi detido no próprio local. O casal tinha um filho de 12 anos.

Nuria Mesa ainda gritou por ajuda à janela. Uma vizinha, que estava a tomar o pequeno-almoço num café próximo à casa onde o casal vivia, alertou o 112 que, por sua vez, avisou a Guardia Civil. Tarde demais.

Quando os serviços de emergência chegaram ao local, a mulher jazia em cima de uma poça de sangue, no chão da cozinha. Os ferimentos foram provocados por uma arma branca e o homem não saiu do local. Ficou lá. Junto ao corpo da mulher até ser detido pela polícia, explica o jornal “El País”.

Para além do contorno trágico, há mais um elemento em comum. O casal também estava separado, apesar de estar a viver no mesmo local.

Uma e meia da tarde. Do outro lado do país, em Bilbau. Maguette Mbeugou, uma mulher de origem senegalesa, de 25 anos de idade, é esfaqueada mortalmente à frente das duas filhas, com menos de cinco anos.

Segundo o jornal “Levante”, o corpo foi encontrado por elementos da Ertzaintza, a polícia do País Basco, depois de avisados por uma vizinha. O principal suspeito é o marido da vítima, que foi detido pelas autoridades ao final da tarde. Ao jornal “El Correo”, um vizinho descreveu o casal como “encantador”. Nunca foram vistos a discutir, mas “barulhos muito fortes”, na madrugada que antecedeu o crime, deixaram alguns vizinhos surpreendidos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.