Lígia mantém a esperança de voltar à licenciatura em Direito

27/11/2012 00:46 - Modificado em 27/11/2012 00:46

Diz o ditado que a esperança é a última a morrer e a reclusa Lígia Furtado continua esperançosa por uma decisão judicial que lhe permita regressar aos estudos na Universidade Lusófona. O Juiz de Execução de Penas da Comarca do Sal continua sem validar o requerimento, mas o certo é que Lígia mantém o desejo de regressar aos estudos na universidade, onde é tida como um dos melhores alunos no curso de Direito.

 

A reclusa concluiu com sucesso o primeiro ano de formação sob regime de exames, mas em Fevereiro de 2012, quando estudava o 2º ano, a sua licenciatura foi anulada pelo Ministério da Justiça devido a uma denúncia que indiciava Lígia do crime de corrupção activa, num caso que envolveu a direcção da Cadeia de São Vicente.

 

Mas o Tribunal de São Vicente veio a absolver Lígia Furtado e os restantes intervenientes do processo porque os factos da acusação não ficaram provados. A decisão do juiz levou em conta as contradições que o tribunal obteve entre aquilo que as testemunhas da acusação disseram na fase de instrução e aquilo que pronunciaram na ACP.

 

Questionado sobre o requerimento que Lígia enviou ao Juiz de Execução de Penas, o advogado diz que “até agora a Lígia não recebeu qualquer notificação sobre o despacho do requerimento. Ela está esperançosa que o magistrado venha a dar uma resposta ao seu pedido e caso se decidir nos próximos meses pelo regresso à universidade, ela vai tentar a conclusão das disciplinas que estiverem ao seu alcance”.

 

Deliberação

 

O advogado da reclusa assegura esperar que o despacho de absolvição da sua cliente do crime de corrupção activa tenha influência positiva na decisão judicial, uma vez que as suspeitas desse crime foram consideradas falsas pelo Tribunal de São Vicente.

 

“Espera-se que não lhe seja negado o direito ao ensino vinculado na Constituição da República, uma vez que ela tem direito à reinserção social. É certo que Lígia tem tempo suficiente para ir estudando aos poucos, mas é obvio que já deu garantias com o seu sucesso escolar no primeiro ano de formação académica” concluiu o causídico.

 

De realçar que Lígia Furtado mantém o desejo de regressar aos estudos na universidade, onde é tida como um dos melhores alunos no curso de Direito. E foi nesta circunstância que emitiu um requerimento a pedir autorização para voltar à licenciatura em Direito… resta agora esperar pelo despacho final do Juiz de Execução de Penas da Comarca do Sal.

  1. Baldoque

    Na lusófona qualquer aluno é melhor aluno.
    O nível é baixo

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.