ONU inicia hoje a 73.ª Assembleia Geral

18/09/2018 10:54 - Modificado em 18/09/2018 10:54

A Organização das Nações Unidas dá hoje início à 73.ª Assembleia-Geral, a decorrer até 05 de outubro em Nova Iorque, com a presença de líderes de 193 países, incluindo Marcelo Rebelo de Sousa.

Osecretário-geral da ONU, António Guterres, preside à abertura da Assembleia-Geral na primeira sessão plenária desta edição, às 15h00 em Nova Iorque (20h00 em Lisboa).

A Assembleia-Geral discute, à semelhança de outros anos, a implementação de medidas mundiais nas áreas da paz, justiça, sociedade, economia e saúde, em sessões plenárias e reuniões oficiais de alto nível.

Em destaque vão estar o combate às armas, promoção dos direitos humanos, desenvolvimento socioeconómico, coordenação da assistência humanitária no mundo e a prevenção de doenças crónicas, tuberculose, malária e SIDA.

O programa deste ano inclui a Cimeira da Paz Nelson Mandela, com início a 24 de setembro, em homenagem ao centenário do nascimento do líder sul-africano e vencedor de um Nobel da Paz, Nelson Mandela.

O debate geral, com início na próxima terça-feira, 25 de setembro e com duração de nove dias, será submetido ao tema “Tornar a ONU relevante para todos: Liderança global e responsabilidade partilhada para sociedades pacíficas, equitativas e sustentáveis”.

A Assembleia-Geral é presidida por María Fernanda Espinosa Garcés, antiga Ministra da Defesa do Equador, quarta mulher a ocupar o cargo e a primeira da região da América Latina e Caraíbas.

  1. Maria José

    Uma altura ideal para faqzermos uma análise sobre a nossa soberania, a nossa independencia.
    Vejamos o que diz a Ministra da Justic:

    Atualmente, mais de 3.000 cidadãos têm o seu CNI que é emitido em nove conservatórias: Santo Antão (Paul, Porto Novo e Ponta do Sol), São Vicente, Brava, Fogo (São Filipe, Santa Catarina e Mosteiros) e Santiago (Arquivo Nacional de Identificação Civil e Criminal, Assomada).

    Segundo a ministra da Justiça e Trabalho, existem também na diáspora oito representantes diplomáticos com capacidade para o CNI.

    Este cartão, que é produzido em Portugal, custa 1.395$00. Com urgência, o seu valor é de 1.795$00.

    Meu Comentário: Isto é uma vergonha nacional. Aliás é uma questao de soberania Nacional. Colocar todos os dados os dados dos cidadaos caboverdinanos nas maos da antiga potencia. Perdemos uma oportunidade impar para reafirmar a nossa soberania.
    Caboverdianamente me subscrevo.
    Maria José.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.