Enapor estima em 250 mil passageiros o turismo de cruzeiro até 2030

3/09/2018 23:33 - Modificado em 3/09/2018 23:33
| Comentários fechados em Enapor estima em 250 mil passageiros o turismo de cruzeiro até 2030

A visão da Enapor para o horizonte 2030 e para a economia azul aponta para três milhões de toneladas de mercadorias movimentadas, mais 200 mil contentores e um turismo de cruzeiro com mais de 250 mil passageiros.

A Enapor – Portos de Cabo Verde, completou no dia 1 de Setembro, 36 anos de existência e, em mensagem publicada no site oficial da empresas, o presidente do conselho de administração, Jorge Maurício, saudou a efeméride e destacou as grandes “linhas de força” do programa e planos da empresa para o futuro.

“Temos a missão de unir as ilhas, garantir a coesão territorial do país e ligar o arquipélago ao mundo”, lançou o responsável já que, sustentou, o mercado internacional na actividade portuária, o transshipment de contentores, “é muito importante” e a Enapor “trabalha todos os dias para fazer crescer” este segmento de actividade da empresa.

Um outro “segmento importante”, lançou a mesma fonte, passa pela criação de uma base logística de navios de pesca no Atlântico, já que Cabo Verde serve “grande parte” da frota que circula no Atlântico Médio.

Simultaneamente, disse Jorge Maurício, a Enapor promove Cabo Verde como “um grande destino turístico de excelência” na área dos cruzeiros.

“Trabalhamos o corredor atlântico juntamente com os arquipélagos vizinhos das Canárias, Madeira e Açores, e estamos a construir um destino muito importante na geografia de cruzeiros no mundo”, concretizou a mesma fonte, que se referiu ainda ao início, “em breve”, das obras de construção do terminal dedicado aos navios de cruzeiro no Porto Grande do Mindelo.

Ou seja, precisou, São Vicente vai ter um terminal com cerca de 400 metros de comprimento e 11,5 metros de profundidade, para permitir a acostagem de navios de grande porte, de 2000 a 3000 passageiros, e fazer crescer a vertente turismo de cruzeiro em Cabo Verde.

Aliás, segundo a mesma fonte, “Cabo Verde é especial e único” e a Enapor, na sua actividade, “recomenda vivamente” o país para serviços logísticos de transporte marítimo, para o turismo e para investimentos.

“Escolher Cabo Verde significa escolher um país seguro a vários níveis, físico, jurídico e democrático, ou seja, um Estado moderno capaz de proporcionar um ambiente de negócios favorável e seguro para qualquer investidor de qualquer parte do mundo”, finalizou Jorge Maurício.

A Enapor – Portos de Cabo Verde, comemorou a 01 de Setembro o 36º aniversário da sua criação e mantém como metas a modernização e o aperfeiçoamento da gestão em geral, mediante investimentos em infra-estruturas, super-estruturas, equipamentos e formação do pessoal, com o fim de se manter ao nível do desenvolvimento tecnológico e ao “grande desafio” da constante reforma dos mercados.

Tem como missão garantir a prestação de serviços “eficientes e de qualidade” aos clientes dos portos de Cabo Verde, na base de infra-estruturas e equipamentos adequados, com segurança e em respeito ao ambiente e aos requisitos técnicos mínimos estabelecidos.

É a concessionária geral do Estado para os portos, terminais, estaleiros navais e infra-estruturas de náuticas de recreio e a Autoridade Portuária de Cabo Verde, tendo a seu cargo a gestão dos nove portos do país.

 

Inforpress

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.