Multas ou mãozinha na cabeça?

20/04/2012 00:16 - Modificado em 20/04/2012 00:16

O estacionamento na via pública deve ser feito de modo que não se obstrua o trânsito a outros veículos. Mas na realidade em muitos casos, alguns condutores não tem respeitado esta regra. Em São Vicente, o caos tem tomado conta de algumas ruas, onde os condutores estacionam e enterram as regras de trânsito. Para driblar essas situações por vezes é preciso fazer manobras perigosas. Ou tem que se sair à procura do dono do veículo, ou à espera que apareça a polícia para aplicar uma multa.

A imobilização de veículos na via pública que não constitui paragem é considerada pelo Código de Estrada como estacionamento. Mas, em São Vicente nem todos respeitam as regras de estacionamento e deixam o carro onde e como querem. Porém esta situação poderá mudar de figura, se os condutores passarem a cumprir as leis.

Mas, para os reincidentes é necessário que PN comece a aplicar coimas para que as pessoas possam cumprir o artigo 48º do Código de Estrada. Visto que há cidadãos que já não aguentam chamar a atenção dos colegas de volante. Porque estes torcem o nariz para o lado e dizem ter a razão. Muitos já deram como perdida a luta contra os transgressores das regras de trânsito. Mas para outros a decisão de mudar o rumo da situação está nas mãos das autoridades policiais.

Para Júlio Chantre “ quem tem carta de condução, com certeza, aprendeu as regras de como efectuar o estacionamento. Porém na prática nem todos respeitam as regras, porque é visível ver carros estacionados em rotundas, em cima dos sinais STOP no pavimento ou em entroncamentos. Por exemplo na Praça  Nova virou moda  para os carros aos pares. Só que o quem esta do lado do passeio fica bloqueado e só sai quando o infractor chegar.
São situações que criam uma balbúrdia nas estradas da nossa ilha, mas que irão acabar assim que os agentes da PN passarem a aplicar coimas pesadas aos transgressores”.

Reclamação

O NN apurou que alguns cidadãos estacionam o seu veículo em locais impróprios e entram em instituições, estabelecimentos comerciais ou bancários para tratarem de assuntos pessoais. Segundo Rui Spencer “ uma vez encontrei um carro estacionado numa via de sentido único e fiquei cerca de quinze minutos aos buzinões, mas não apareceu ninguém. Para sair daquela situação tive que abandonar o meu veículo para ir atrás do proprietário e acabei por encontra-lo numa instituição ”

Mas, também há pedestres que reclamam dos condutores que fazem dos passeios parques de estacionamento. Já que estes obstruem a passagem dos peões, de pessoas dependentes de cadeiras de rodas e outras pessoas de mobilidade reduzida que são obrigadas a entrar no asfalto para continuar o seu percurso.

Por isso alguns condutores e pedestres têm apelado a PN que esteja atenta a estas situações e possa aplicar coimas as pessoas que desrespeitam o artigo 49º do Código de Estrada. Por outro lado o NN sabe que nalgumas áreas da cidade, já existe fiscalização diária por parte da PN no sentido de aplicar coimas aos infractores.

  1. cidadão

    estou plenamente de acordo que se aplica coima a quem estacionar em local proibido mas não entendo como é que taxistas fazem manobras perigosas na cara de policiais e esses fingem que não vê,pessoas fazendo acrobacias perigosas em motos e esses policias de transito parecem que ficam admirando esses idiotices em vez de agirem como agentes de policia.estacionar em local proibido não coloca em perigo a vida dos outros mas sim essa condução selvagem é um perigo para todos.por favor senhores agentes prestam melhor serviço a sociedade,que vergonha!

  2. Lopes

    Nos temos as multas mais caras do mundo comparativamente aos nossos ordenados, basta ver que a multa de 10.000$00 é copiada do Código de estrada de Portugal ou sej mais ou menos 100 euros.Aredito que o senhor jornalista estagiário ganhara pouco mais que isso mensalmente não é? Ou o mais certo é não ter carro? Pimenta nos olhos dos outros é refresco lá diz o ditado!

  3. Lopes

    Será que podiam fazer um trabalho de investigação sobre o ITAC com fundamento seriedade, acredito que fariam um melhor papel a bem da sociedade.O bom jornalista investiga trabalha pensa não fica pelos factos apenas vamos por a cabecinha a trabalhar chega de fofoquices!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.