Governo anuncia novas bolas de estudo

30/08/2018 16:39 - Modificado em 30/08/2018 16:39
| Comentários fechados em Governo anuncia novas bolas de estudo

Para o ano letivo 2018/19, o governo anúncia a atribuição de 100 (cem) novas bolsas de estudos a estudantes universitários cabo-verdianos inscritos nas instituições de ensino superior de Portugal, aumentando assim o número de bolsas de estudo que foi de 66 (sessenta e seis). Ainda que estão em curso os procedimentos de seleção de beneficiários de bolsas de estudo do Governo de Cabo Verde para alunos já colocados e inscritos nas instituições de ensino superior de Portugal “através de um processo, igualmente concorrencial, de selecção para as vagas disponibilizadas pelo governo de português”.

Acerca das reclamações sobre o processo de atribuição de vagas e/ou de bolsas, o governo diz que “está a avaliar a conformidade das reclamações e está, naturalmente, disponível para corrigir as inconformidades que venham a ser confirmadas ou não”.

Esclarece ainda que os critérios para atribuição de bolsas de mérito estão baseados exclusivamente no aproveitamento escolar dos candidatos. Sendo a média do 12º o “único critério” e igual para todos. “A seriação exclui assim todos os demais factores ou ponderadores”.

Já para as bolsas sociais, entram outros factores para ponderação tais como: (i) o aproveitamento escolar do candidato, com um peso relativo de 40%; (ii) a condição social, medido pelo rendimento do agregado familiar do candidato, com um peso relativo de 40%; (iii) o equilíbrio regional, medido através de dados do Instituto Nacional de Estatísticas, com um peso relativo de 10%; e (iv) o número de filhos no ensino superior, com um peso relativo de 10%. São critérios iguais para todos e totalmente transparentes pois estão disponíveis para consulta a todo o momento.

O Governo adianta que está a monitorizar o processo de pedido de visto dos alunos seleccionados, “ciente de que os critérios de atribuição e emissão de vistos seguem a legislação do país de acolhimento, neste caso Portugal, mas com a disponibilidade de encetar a devida articulação com a Embaixada de Portugal, caso se mostrar adequado e necessário”.

“O Governo entende, no entanto, que é preciso aprofundar a reflexão sobre o modelo de financiamento da formação superior, no país e no estrangeiro, de modo a prosseguir o desiderato constitucional e cumprir o objetivo constante do Programa do Governo da IX Legislatura, nomeadamente o combate às assimetrias regionais e sociais e a promoção da igualdade de oportunidades para todos, também no domínio do ensino superior”, como adianta o comunicado.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.