Segurança transfusional: prevenir para evitar risco de doença em transfusões de sangue

29/08/2018 13:25 - Modificado em 29/08/2018 13:25
| Comentários fechados em Segurança transfusional: prevenir para evitar risco de doença em transfusões de sangue

Está a decorrer em São Vicente, uma acção de formação, sobre a segurança transfusional, aos profissionais de saúde do Hospital Baptista de Sousa (HBS), no âmbito do Programa Nacional de Segurança Transfusional, que visa capacitar e reforçar as competências desses profissionais em garantir melhores procedimentos na transfusão de sangue.

Uma formação que tem como objectivo o reforço das competências em termos de transfusão de sangue, tanto da parte triagem clínica de doadores de sangue como também no aspecto da hemovigilância, o que consiste em vigiar todo o processo e evitar qualquer situação que coloque em causa a saúde, tanto de quem recebe como de quem doa.

De acordo com a directora do Banco de Sangue do HBS e coordenadora do Programa de Segurança Transfusional, a especialista em Hematologista a Dr. Maria Conceição, esta é uma actividade de carácter nacional, sendo uma estratégia do Ministério de Saúde que vai no sentido de garantir o acesso a sangue seguro e de qualidade à toda a população. “Infelizmente existem algumas ilhas com dificuldade de acesso devido ás estruturas menos evoluídas. São nestas ilhas onde temos vindo a reforçar a capacidade destas estruturas, mas dependemos sempre da boa vontade da população”, declara.

Inserido dentro do programa global de prevenção da transmissão do vírus de Zika, através da transfusão, programa financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento e com o apoio da Organização Mundial de Saúde (OMS), tendo como uma das vertentes a prevenção do Zika através da transfusão e neste sentido capacitar os profissionais para que tenham maiores e melhores condições. “Prevenir riscos não só em quem recebe mas também em quem dá”.

Nesta matéria, Paulo Almeida destaca Cabo Verde como um dos primeiros países que avançou com os testes de hepatite B, para prevenção através de transfusão, onde todo o sangue passa por diferentes testes. “Nenhum sangue sai sem que os testes sejam feitos, mas isso não elimina totalmente os riscos”, aclarou este médico que garantiu, ainda, que na ilha de São Vicente, os dadores voluntários vêm aumentando o que considera um bom indicador daquilo que chamamos aqui em Cabo Verde de terapia tranfusional.

“Segurança tranfusional significa criar todas as condições máximas, com o objectivo de evitar risco de doenças associados a transfusão, por isso a informação é importante”.

Na primeira parte da formação foi apresentado o Manual de Triagem, para a selecção de dadores, que é primeiro manual feito em Cabo Verde, com orientações específicas e uniformes para todos os bancos de sangue de como se deve fazer a triagem e isso é muito importante pois evita efeitos indesejáveis em quem recebe.

A formação será ministrada em todas as ilhas do país onde existam bancos de sangue.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.