Augusto Neves “ Se entendem que reclamar é insultar o primeiro–ministro, eu não reclamo dessa forma “

26/08/2018 23:20 - Modificado em 26/08/2018 23:20

Numa entrevista  ao NoticiasdoNorte  o presidente da CMSV , Augusto Neves , defende que não perdeu o poder reivindicativo  junto do governo. Só que agora é ouvido pelo governo  que tem mostrado que “ está a remar com a câmara para o mesmo lado “. Defende que não é justo criticar quem está a resolver os problemas graves que  os governos do PAICV  deixaram ao país em geral e São Vicente no particular “  Se entendem que reclamar  é participar em manifestações contra o governo, pinchar estradas e paredes, insultar o primeiro–ministro,  eu não reclamo dessa forma . Não o  fiz  com os governos do PAICV e não o farei como nenhum governo. Eu fui eleito pelo povo de São Vicente que não espera de mim uma postura dessa natureza. Esperam sim uma postura institucional. De firmeza, mas de respeito. De exigência e de legalidade. O presidente da CMSV não pôde ir pinchar paredes pedindo autonomia, quando o pode fazer na comunicação social ou nos canais institucionais. Foi esta postura institucional, criticada por alguns membros do meu partido, que mantive com o governo do PAICV. Travei a luta política dentro da lei, com lealdade institucional, com verdade e construí parceiras  com vários membros do  governo do Dr. JMN, mesmo quando com o aproximar do ciclo eleitoral, ouvindo as suas “bases locais” me tirava o tapete .

Fora da luta politica, normal em democracia, o Dr. José Maria Neves dirá que mantive com o seu governo uma postura institucional, de estado e não de guerrilha  como muitos, na altura , defenderam. Mantenho essa mesma postura como o governo do Dr. Ulisses Correia. Não porque ele é líder do meu partido, mas porque eu sou o presidente eleito de todos os sanvicentinos e não apenas dos que votaram no meu partido.

Por exemplo, a oposição quer que eu venha criticar o governo com base numa notícia falsa, quando se divulgou que uma doente morreu ao ser transportada de barco quando a doente morreu no hospital? A oposição quer que eu assuma posição contra o governo em relação aos transportes aéreos quando o governo está a resolver esse problema? Querem que eu desfile com uma bandeira negra da fome, quando sofremos como nação para erradicar essa praga  que assolou o arquipélago? Não, o presidente da CMSV não pode assumir essas posições. Tem os espaços próprios, como sempre fez , para defender os interesses de São Vicente. Mais: querem que eu reclame por descentralização  quando nunca foram descentralizadas tantas competências para os municípios como no presente?

É verdade que passei oito ano a reclamar pelo Fundo do Ambiente e  Fundo do Turismo que não  eram  transferidos para os municípios . Mas hoje, estes são transferidos deixando a sua gestão entregue aos municípios. Devo continuar a reclamar ?

Eu estarei junto com os munícipes  nas criticas  ao governo no dia que este abandonar as bandeiras da autonomia, descentralização, regionalização e da luta pelo bem estar das gentes de São Vicente . Mas para desespero dos “Velhos do Restelo” as suas pragas apocalípticas  não vão ao céu  e este governo está junto com a CMSV a trabalhar para cumprir com o que prometeu ás populações. Estamos a remar para o mesmo lado. Com dificuldades é certo, cientes  do que há por fazer. Mas confiantes que vamos conseguir. “

  1. Lili

    Sem comentários Gust.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.