Mosquitos continuam a atacar moradores de Dji D´ Sal e Campim

23/11/2012 00:44 - Modificado em 23/11/2012 00:45

Os moradores de Dji D´ Sal continuam a sofrer na pele o problema das águas das chuvas estagnadas no ex-campo do futebol daquela localidade e num espaço utilizado para a prática de hipismo, ao lado da estrada cidade/São Pedro. É que uma praga de mosquitos continua a importunar os moradores de Dji D´ Sal que viram os vizinhos do Campim serem afectados também pelas picadelas dos mosquitos.

 

Há cerca de dois meses, moradores da zona do Dji D´ Sal contactaram o NoticiasdoNorte para alertar sobre uma praga de mosquitos que estava a afrontá-los, tudo por causa das águas da chuva que ficaram estagnadas nas imediações dessa localidade. Mas o certo é que esta situação continua a aterrorizar a comunidade desse bairro.

 

A fonte de mosquitos é um espaço com cerca de cinco metros de largura e cinquenta de comprimento. É um autêntico “rio” que se prolonga ao lado da estrada para o aeroporto e o local onde era o campo de futebol de Dji Sal, cercado para a realização de uma obra que até à data não foi edificada.

 

Devido à estagnação da água, o mau cheiro tem sido uma preocupação dos moradores, mas o problema maior são os mosquitos que afrontam os moradores de Dji D´ Sal e Campim. Adelina Pires afirma que “há anos que esperamos uma solução para este problema, porque é difícil lidar com as picadelas dos mosquitos. Compra-se repelente e fecham-se portas e janelas, mas continuamos a não ter sossego, porque não há nada que acabe com os mosquitos”.

 

Mário Costa partilha da opinião de Adelina e acrescenta que “não há insecticida que chegue para os mosquitos. A minha mulher já gastou dinheiro para comprar incenso para afugentá-los. Mas aos poucos surgem para afrontar a nossa comunidade, sendo certo que alguns contribuem para esta situação ao deitarem lixo em locais inapropriados”.

 

Armindo da Luz e Vanda Dias apresentam as marcas no corpo das picadas de mosquitos e asseguram que juntamente com outros moradores atiraram produtos químicos para minimizar a situação nos locais com águas estagnadas.

 

Para erradicar os mosquitos, os moradores de Dji D´ Sal e Campim pedem a intervenção da Câmara Municipal de São Vicente e da Delegacia de Saúde. Mas este online soube que as autoridades sanitárias já fizeram uma pulverização anti-larval no local para diminuir os problemas causados pelas águas estagnadas.

  1. Baldoque

    Um “Rio” com 5 metros de largura e 50 de comprimento.
    Haja saco para tanta ignorância.
    “Rio” sr. “Jornalista”? “Rio”?

  2. Baldoque

    Ainda a aguardar moderação?? Um comentário enviado ontem e que não tem ofensa nenhuma. Só uma chamada de atenção para uma Santa Ignorância??

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.