Casal alemão condenado a prisão por ter tentado vender filho na internet

13/08/2018 12:29 - Modificado em 13/08/2018 12:32
| Comentários fechados em Casal alemão condenado a prisão por ter tentado vender filho na internet

Uma mulher que tentou vender o filho a pedófilos na darkweb foi condenada a 12 anos e seis meses de prisão por um tribunal alemão.

O tribunal de Friburgo condenou também o companheiro da mulher a 12 anos de cadeia.

Berrin Taha, de 48 anos, e Christian Lais, de 39, são ambos alemães e viviam em Staufen, perto de Freiburg.

A criança tinha 9 anos, em junho, altura em que começou o julgamento, refere a BBC.

O casal foi acusado violação, agressão sexual agravada de crianças, prostituição forçada e distribuição de pornografia infantil.

De acordo com a agência espanhola, EFE, o casal alemão admitiu ter vendido a criança na internet a outros homens por abuso sexual, incluindo um espanhol de 33 anos, que foi condenado, na segunda-feira, a dez anos de prisão e a pagar uma indemnização de 18 mil euros à criança por danos físicos e morais.

O espanhol, acusado de “violação e abuso sexual grave”, confessou ter violado “repetidamente” a criança entre setembro de 2016 e agosto de 2017 e ter pagado por isso.

Segundo a EFE, outras quatro pessoas, incluindo um cidadão suíço e um soldado do exército alemão, foram condenadas entre oito a dez anos de prisão e ao pagamento de uma indemnização de 12.500 a 14 mil euros.

Os abusos cometidos contra o menor foram filmados e posteriormente trocados em fóruns na internet.

A criança vive atualmente com pais adotivos.

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.