Rui Semedo :  “Um grave atentado à minha imagem, ao meu bom-nome e à minha reputação”

10/08/2018 00:47 - Modificado em 10/08/2018 00:47

O deputado do PAICV, Rui Semedo, reagiu à notícia divulgada sobre o facto de ter sido autuado pela empresa por falta de pagamento de facturas. Facto que considera ser “um grave atentado à minha imagem, ao meu bom-nome e à minha reputação, enquanto homem, enquanto alguém que está na política activa há muitos anos e que já assumiu algumas responsabilidades neste país”.

Para Rui Semedo, “não restam dúvidas que havia uma intenção clara e premeditada de o prejudicar e de atingir o PAICV”. Acrescenta que a notícia assumiu o papel “indisfarçável na promoção da maioria e no ataque à oposição”. Sobre a notícia, diz que houve juízos de valores, tirando conclusões, julgando-o e condenando-o em praça pública sem verificarem as fontes e sem se terem preocupado em ouvir o contraditório.

Desmente que foi autuado pela Electra porque o seu nome não consta no contrato de prestação de serviço com a empresa. “Em segundo lugar, o facto da informação ter ido, numa questão de horas, às cómodas mãos de um Jornal específico (e não de nenhum outro), demonstra claramente que havia uma intenção clara de atingir a minha pessoa e de atingir o PAICV”.

A escolha do jornal onde foi publicada a notícia, diz ser um indício de que “é esta a forma escolhida para tentar calar e silenciar o PAICV, na Oposição”. Continua avançando que é uma prática conhecida para descredibilizar e silenciar os dirigentes do PAICV.

“O que eu posso comprovar é que a acusação que me é imputada quer pela Electra, quer pelo jornal em causa é falsa e, por isso mesmo, repudio esta forma vil de tentar denegrir a minha imagem e a da minha família para tentar conseguir ganhos políticos mesquinhos e, seguramente, de curtíssimo prazo”, afirma Rui Semedo.

Repudia a notícia, explicando que não corresponde à verdade.

“Informo ainda, que considero a minha imunidade levantada para ser julgado e para procurar, também, que os meus algozes sejam julgados”, menciona.

Texto do deputado Rui Semedo

  1. Carlos Tavares

    Fazendo fé nas palavras do meu camarada RUI SEMEDO, só passou-me pela cabeça o seguinte: O mpd sabe que as profanações já nao é mais possivel em Cabo Verde, porque todo o mundo já sabem quem foi os mandoes do passado, agora mudou-se de estrategia para atingir diretamente pessoas de valores no PAICV. Outros dirigentes do PAICV que se cuidem. É melhor instalar câmaras de vigilância porque vai haver mais sabotagens para que eles possam lucrarem com elas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.