Travessia São Vicente / Santo Antão organizadores apostam na internacionalização

9/08/2018 08:16 - Modificado em 9/08/2018 08:16
| Comentários fechados em Travessia São Vicente / Santo Antão organizadores apostam na internacionalização

Um grupo de nove  atletas salva-vidas realizou esta terça-feira, a travessia de São Vicente para Santo Antão em pranchas a remo, concluído em menos de duas horas e meia, 2:29 minutos, batendo o recorde do ano passado, que era de três horas.

O grupo de nove  remadores foi recebido em Santo Antão pelo vereador da Potecção Cívil, onde tiveram direito a atendimento médico, logo à chegada, água para tomarem banho e alimentação.

Um percurso de 9 milhas, remando em águas abertas, em que a equipa teve o apoio da Guarda Costeira de Cabo Verde e da Agência Marítima e Portuária. O  objectivo é  dinamizar e promover os desportos náuticos em Cabo Verde. “Gostaria que a ilha pudesse apostar nos desportos náuticos. As autoridades para quem pedimos apoio não acreditaram em nós e na nossa capacidade”, afirma Aníbal Delgado.

De acordo com a organização da travessia, denominada REMEX, o principal foco é internacionalizar este evento, tendo sido uma boa experiência, principalmente pelo facto de se  ter reduzido o tempo da travessia.

Anibal Delgado acredita que com maior treinamento serão capazes de concluir a travessia em hora e meia e para obter este tipo de resultado, ressalta que é preciso começar os trabalhos para a próxima edição a partir de agora. “Remar nove milhas em águas abertas num canal com este não é fácil, por isso é importante estar preparado física e mentalmente e ter disciplina no mar”.

O percurso de volta a São Vicente dos participantes do Remex 2018 foi feito a bordo de uma das embarcações da Guarda Costeira.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.