Enapor lança concurso para contratar consultor para obras do terminal de cruzeiros

9/08/2018 07:42 - Modificado em 9/08/2018 07:42

O concurso decorrerá em duas fases, de acordo com o anúncio publicado na página da empresa na Internet, e os interessados devem manifestar interesse em se candidatarem até o dia 28 de setembro.

A missão do consultor é auxiliar o Governo, através dos ministérios da Economia Marítima e das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação, e da Enapor na implementação do projeto do terminal de cruzeiros, com base na prestação de serviços em áreas revisão e atualização do projeto técnico de base, plano de desenvolvimento do destino de cruzeiro e aquisições públicas, entre outros.

Os critérios de seleção para a constituição da ‘shorlist’, no âmbito do concurso, são experiência em projetos de engenharia portuária, em supervisão de obras hidráulicas e portuárias, na monitorização e gestão de planos ambientais, no setor do turismo de cruzeiros e na seleção e contratação de empreiteiros.

A 15 de julho, o Governo e o Fundo Orio, da Holanda, rubricaram o acordo de donativo, a fundo perdido, no montante de 10 milhões de euros, para a construção do terminal de cruzeiros, no Porto Grande de São Vicente, orçado na globalidade em 29 milhões de euros.

Desse montante, 16 milhões correspondem ao financiamento já garantido pela OFID, uma instituição de financiamento ao desenvolvimento criada para promover o progresso social e económico no mundo, cujo acordo foi rubricado, em Washington, no mês de abril, sendo que o restante financiamento corresponde à contrapartida nacional.

Assim, “numa perspetiva realista”, segundo o presidente do conselho de administração da Enapor, Jorge Maurício, as obras do terminal de cruzeiros projetado para São Vicente poderão arrancar em 2019.

O projeto do terminal de cruzeiros já é tido como “muito importante” para a economia de Cabo Verde, no entendimento do Governo, pois o mesmo vai ser “naturalmente” uma zona de expansão do Porto Grande, neste momento “bastante congestionado” com a atividade da pesca e de movimentação da carga convencional, entre outros fatores.

O terminal de cruzeiros projetado para o Porto Grande de São Vicente terá dois berços de 400 e 350/300 metros, respetivamente, uma profundidade máxima de 11 metros, e será servida por uma gare marítima para passageiros, uma vila turística junto à marginal que vai ter lojas, free-shops, restaurantes, bares, pequenos museus e souvenir.

Números avançados pela Enapor indicam que, atualmente, só em São Vicente, os navios de cruzeiros “deixam mais de 4 milhões de euros/ano”, e que os turistas gastam entre 30 a 40 euros por pessoa, e com uma margem de progressão “muito favorável” por se tratar de um negócio que “cresce todos os anos” a nível mundial.

inforpress

  1. Provocador

    Melhor é começar rápido, pois pelo andar da carruagem ainda o Jorge Santos desvia o projecto para S.Antão ou o João Gomes leva-o para a ilha dele S.Nicolau.
    Abram os olhos povo Mindelense, pois nem os deputados eleitos por SV protegem os interesses de SV, é só ver o caso do post do Gualberto do Rosário sobre a promessa do Primeiro Ministro sobre a construção do porto de águas profundas em S.N ( projecto inicial em SV ) e nenhum deles disse nada, só o deputado João Gomes num post nas redes sociais disse para deixarem o governo trabalhar….. ABRAM OS OLHOS MEU POVO …..

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.