Apenas 30,5% das mães em Cabo Verde cumprem o programa aleitamento materno exclusivo -INE  

2/08/2018 06:57 - Modificado em 2/08/2018 06:57
| Comentários fechados em Apenas 30,5% das mães em Cabo Verde cumprem o programa aleitamento materno exclusivo -INE  

Cidade da Praia, 01 Aug (Infropress) – Segundo dados do INE, apenas 30,5 por cento (%) das mães em Cabo Verde cumprem com as diretrizes do aleitamento materno exclusivo até aos seis meses de idade, disse hoje à Inforpress a coordenadora nacional do Programa de Nutrição.

Segundo Irina Spencer que falava em declarações à Inforpress a propósito do programa elaborado pelo Ministério da Saúde para assinalar a Semana Mundial do Aleitamento Materno que decorre de 01 a 07 de Agosto, o obejctivo é mostrar a importância do aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses da vida de uma criança.

Conforme explicou, a Semana que decorre sob o lema “Amamentação: A base para a vida” tem como propósito, informar sobre o modo como a amamentação está ligada à boa nutrição, segurança alimentar e redução da pobreza e vincular a amamentação dentro da agenda de nutrição e segurança alimentar.

Segundo Irina Spencer, o lema escolhido para o evento visa ainda envolver indivíduos e organizações que trabalham nessa matéria, assim como motivar acções para promover a amamentação como parte das estratégias de nutrição, segurança alimentar e redução das desigualdades.

“O lema da Semana Mundial do Aleitamento Materno foca-se este ano na prevenção da malnutrição em todas as suas formas, na garantia da segurança alimentar mesmo em tempos de crise e na quebra do ciclo da pobreza”, sublinha.

Nesse contesto apelam às mães a assumirem outra ”atitude” a esse respeito porque a prática do aleitamento materno protege as crianças de várias doenças, reduz a morbidade e a mortalidade, e beneficia o meio ambiente.

Além desses benefícios, Irina Spencer esclareceu que o aleitamento materno reduz os índices de obesidade infantil, de infecções digestivas e respiratórias, de alergias alimentares, de serem potenciais doentes cardíacos e diabéticos.

Para assinalar a efeméride, o Ministério da Saúde através do Programa Nacional de Nutrição, dos hospitais e centros de Saúde e em parceria com o Unicef, vai realizar actividades de sensibilização voltadas para as mães, pais, comunidades, assim como marcha, palestras e acção de formação para profissionais de saúde.

O objectivo é reforçar a iniciativa “Hospital Amigo da Criança” para uma mudança positiva em relação à promoção, proteção e apoio à amamentação.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o aleitamento materno deve começar já na sala de parto e que seja exclusivo e em livre demanda (o bebe mama a quantidade que quer, quando quer) até o 6º mês e se estenda até os 2 anos ou mais.

A Semana Mundial de Aleitamento Materno é uma estratégia idealizada pela Aliança Mundial para Acção em Aleitamento Materno (WABA) criada em 1992 e ocorre em cerca de 150 países.

 

Inforpress

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.