Augusto Neves: “Intercâmbio com os artistas brasileiros está a enriquecer o nosso Carnaval”

31/07/2018 00:37 - Modificado em 31/07/2018 17:45

E para o próximo ano, a comitiva liderada por Dudu Nobre já está a pensar na área cenográfica, na conceção de carros alegóricos

Durante a apresentação oficial da caravana brasileira, no Centro Cultural do Mindelo, que chegou este domingo e segunda-feira, para mais uma edição, a segunda do Workshop de carnaval, enquadrado em mais uma edição do carnaval de Verão, a quarta.

Augusto Neves reafirma o seu compromisso em elevar “cada vez mais” o carnaval de São Vicente e por isso, aposta mais uma vez mais, num intercambio de artistas brasileiro ligados ao carnaval do Rio de Janeiro, que segundo o autarca mindelense, está a funcionar e com resultados satisfatórios.

“Esse intercambio tem sido bom para o carnaval de São Vicente que tem vindo a melhorar gradualmente”, e que reflete, no entender de Neves a aposta da câmara de São Vicente no carnaval “como um grande produto” e explica que tendo a ilha como um grande “pendor cultural”, falta-nos a parte da experiência organizativa entre outros conhecimentos e assim “seguimos aprendendo para apresentar a população e a todos aqueles que nos visitam melhores espetáculos, carnaval, convivência e grupo”.

Por seu lado, o músico brasileiro Dudu Nobre destaca a cultura carnavalesca da ilha, relembrando que na primeira edição, viu muita vontade não só dos grupos, mas de toda a população e fazer com que o carnaval se desenvolva cada vez mais.

“Não estamos aqui para impor nada, apenas trazer a nossa experiência, e pegar aquilo que acreditam, ser mais importante”, revela o músico que avança ainda que este ano o foco será a área estética e técnica do carnaval.

Uma área, que segundo Dudu Nobre, cria mutos profissionais e acredita que em 2019, muitas mais mudanças serão introduzidas, na questão de montagem e conceção de fantasias

Augusto Neves, classifica este como sendo um momento de muita união, camaradagem e acima de tudo e fundamentalmente de muita “brincadeira” e seguindo neste ritmo, assegura que iremos conseguir de ano para ano fazer com que a ilha tenha um bom carnaval.  E isso, com o esforço de todos.

Garante ainda que enquanto estiver a frente dos destinos políticos da ilha, a CMSV irá dar todo o seu apoio, porque temos “consciência da importância da cultura para o desenvolvimento económico dessa ilha”.

  1. Miriam C Fonseca

    Bo kre so festa.
    Traboi que é importante para desenvolver a economia do país, nada.
    Festa s e festivais.. já tita perdê piada. Pois tude mês tem um festival… e isso tita trazê mais problemas de álcool, mais roubos,, enfim se estivesse no estrangeiro seria acusado de criar um clima de ostentação nos jovens.. ou seja jovens sem emprego, vão fazer coisas erradas para participar nestes festivais.
    Aconselho a criar cursos de Empreendedorismo para dribal o problema do desemprego.
    Fica a dica.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.