O estado da Nação: o emprego preocupa

27/07/2018 07:41 - Modificado em 27/07/2018 07:41
| Comentários fechados em O estado da Nação: o emprego preocupa

Discute-se na sexta-feira, o estado da Nação. Um período de análise entre os parlamentares sobre a situação em que se encontra o país nos vários sectores. O debate marca o fim do ano parlamentar. Um assunto debatido entre os partidos, muitas vezes com visão diferente sobre os vários sectores. Um debate que desperta interesse visto que se trata do “estado da Nação”.

Um estado que vai dividindo opiniões sobre os avanços, mas mantendo uma ideia comum sobre os retrocessos. A ilha de São Vicente vive, neste momento, uma situação de falta de transportes aéreos e, ao mesmo tempo, sente uma necessidade de mais desenvolvimento e de mais emprego.

“O estado de São Vicente poderia ser muito melhor e estamos com muitas situações que precisam de ser resolvidas, principalmente a questão da ligação aérea. Há que se resolver a situação da ilha em relação aos transportes”, diz Carlos Duarte. Mas, numa visão mais pessoal, Dilma Soares considera que a situação da ilha, principalmente a das pessoas que vivem fora do centro, é difícil. Diz que são muitas coisas que têm tornado a vida das pessoas mais difícil, principalmente a questão do emprego. O emprego, por um lado, é uma situação que inibe as pessoas de avaliarem de forma positiva a situação local. “São Vicente tem um problema de emprego, basta ver tantos jovens sem emprego, sem nada para fazerem e com muita vontade”, diz Gerson Soares que inclui a sua pessoa neste grupo.

As preocupações são o emprego para as pessoas. “Sem emprego, ninguém pode estar bem e, em São Vicente, não têm aparecido muitas oportunidades para um trabalho como deve ser”, ideia partilhada por Steven Rocha.

Apesar do estado, a ideia é que as coisas podem mudar e que a ilha possa conhecer o desenvolvimento necessário. Sobre as medidas e as ideias para São Vicente, fica a impressão de uma certa esperança sobre os anúncios. “Estão sempre a dizer (os políticos) que vão arrancar trabalhos que vão dar emprego e que vão ajudar a ilha a desenvolver e espero que possa mesmo acontecer”, diz Domingos Cruz. Partilhando a mesma ideia, Fredson Fernandes pede um ligeiro aceleramento na tentativa de melhorar o desenvolvimento da ilha para que esta se possa desenvolver.

Acerca do debate, os pedidos são para que os partidos analisem de forma concreta os assuntos e deixem de fazer guerra entre visões diferentes sobre o mesmo país. Que possam fazer um debate que possa ajudar os políticos a tomarem as melhores decisões e fazerem com que as pessoas fiquem mais satisfeitas com a situação do país e da própria ilha.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.