PJ confirma que Edvânea Gonçalves está morta

13/07/2018 12:49 - Modificado em 13/07/2018 13:09

A Policia Judiciária confirmou   que a menor Edvânea Gonçalves, desaparecida desde  14 de Novembro de 2017 está morta.

Pois, os testes de DNA realizados nas ossadas encontradas no passado dia 18 de janeiro, na localidade de Ponta Bicuda, em Achada Grande Trás, pertencem a criança  Edvânea Gonçalves,  que morava  no bairro de Eugénio Lima, na cidade da Praia.

A Policia Judiciária faz saber que após submeter o material extraído das ossadas encontrada aos exames de DNA, após comparação com material genético dos progenitores dos desaparecidos até a data da descoberta das ossadas (Edine Soares, Maurício Soares e Edvânea Gonçalves), estes apresentaram uma probabilidade de 99,9999 por centos (%) de chances de pertencerem a menor Edvânea Gonçalves.

Diante dos factos, a Polícia Judiciária informa que se está perante um caso de homicídio, pelo que as investigações serão direcionadas neste sentido com vista a descoberta do (s), autor (es) deste crime.

A Polícia Judiciária informa ainda que a equipa continua firme e engajada no propósito de se chegar a um desfecho de todos os casos de desaparecimento que tem sob investigação.

No dia 18 de Janeiro, as autoridades judiciais e de saúde procederam, por volta das 13:45, ao levantamento de ossadas humanas encontradas em Ponta Bicuda, mais concretamente na localidade de Marrocos, que aparentavam ser de uma mulher.

Os esqueletos foram encontrados por um grupo de quatro rapazes que alegadamente estavam a dirigir-se para a costa de Salinas, para apanha de búzio, um marisco muito procurado nestas costas.

Foi a 14 de Novembro 2017 que Edvânea saiu de casa para fazer um mandado da mãe Lúcia Helena Carvalho Gonçalves,  a menos de 100 metros da residência, não tendo sido vista até hoje.

Este sábado, 14 Julho completa oito meses que a menor está desaparecida.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.