5 de Julho e os pedidos do 43 º  aniversário

3/07/2018 07:18 - Modificado em 3/07/2018 07:18

No próximo dia cinco de Julho, o país comemora quarenta e três anos de independência. Um dia de comemorações e de homenagem aos que lutaram pela independência, mas também, como muitas vezes mencionados nos discursos oficias, momento para avaliar o percurso e traçar novas metas e objectivos. O país celebra mais um aniversário sob forte pressão da sociedade civil que já tem manifestações marcadas em várias ilhas. Com o aproximar-se da data, os grupos sociais continuam a fazer a própria mobilização para uma presença massiva das pessoas nas manifestações.

No aniversário do país, as reivindicações dos grupos civis são muitas mas as criticas vão principalmente para o Governo sobre situações e medidas que têm sido tomadas nos actos de governação.

Os desejos para este aniversário, feitos por algumas pessoas, centram-se nas questões de sempre, como o emprego, a estabilidade, a segurança e a paz. “Cabo Verde está cada vez mais desenvolvido e é isto que o país precisa para podermos avançar. Mas, claro, um desenvolvimento para todos e não apenas para alguns”, argumenta Rogério Santos. Na mesma ideia, Dirce Lima diz que o país precisa de mais desenvolvimento para que as pessoas possam ter aquela “felicidade de que muitas vezes falam os políticos”.

A felicidade é o pedido justo. Como afirma Stefen Fortes, “a felicidade é o direito de todos” e o mesmo pensa que todos podem conseguir a felicidade quando há emprego e todas as pessoas têm rendimento. Pedir rendimento como prenda de aniversário não é novo e, é neste sentido que surgem os pedidos de que haja emprego para que todos possam ser atendidos, de modo que as pessoas possam viver felizes dentro do próprio país.

Acerca de como o país está, o sentimento é que poderia estar muito melhor.  “Cabo Verde poderia estar muito melhor e quando acontecem coisas como as situações das evacuações e outros problemas, sentimos que é preciso fazer mais”, como declara outro cidadão, Tchida Delgado, de Monte Sossego. Os problemas actuais do país com seca, desemprego e segurança são questões que apontam para que é necessário um trabalho para que o país possa continuar na sua onda de desenvolvimento e progresso.

Claro que nem tudo é mau e muitos acreditam que o país está no caminho certo. “Um país pequeno como Cabo Verde hoje é conhecido em todo o mundo. Isso significa que tem sido feito um bom trabalho”. Como destaca Valter Silva, ele acredita que o futuro do país é promissor. Essa certeza e optimismo não únicos, já que o progresso do país é um desejo geral, sendo que o momento actual é o centro da questão, dividindo opiniões.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.