Terminou o “sonho” africano na Rússia com a queda do Senegal

29/06/2018 01:56 - Modificado em 29/06/2018 01:56
| Comentários fechados em Terminou o “sonho” africano na Rússia com a queda do Senegal

Após a eliminação do Egipto, Marrocos, Tunísia e Nigéria, nesta quinta-feira foi a vez do Senegal dizer adeus à continuidade na prova, isto após quebrar o recorde sem perder em fase de finais de um Campeonato do Mundo. Não foi a derrota frente à Colômbia por 0-1 que tramou os “Leões da Taranga”, mas foram os cartões amarelos que a equipa apanhou.

À partida, o Senegal era a selecção africana favorita a seguir em frente na prova, não só por trazer o rótulo de melhor selecção africana em prova a nível do Ranking Mundial, ocupando a 23ª posição, mas também porque era das selecções africanas mais bem posicionadas para atingir a próxima fase, pois ocupava à entrada para esta última jornada, a segunda posição em igualdade pontual com o Japão. Nesta última jornada, o Senegal não esteve tão exímio como quando enfrentou a Polónia na primeira jornada ou no empate a duas bolas frente ao Japão. Corria o minuto 74 quando o defesa central colombiano, Yerry Mina, na sequência de um pontapé de canto, saltou mais alto que todos e cabeceou com força, batendo o guarda-redes senegalês, N`Diaye. Este golo mudou por completo as esperanças dos “Leões da Taranga” e as contas neste Grupo H, pois estavam em igualdade pontual com o Japão, com os mesmos quatro pontos e com os mesmos números de golos marcados e sofridos, quatro para cada lado. Mesmo a derrota do Japão frente à Polónia por 1-0, não ajudou o Senegal, pois no capítulo disciplinar, o Senegal contava com seis cartões amarelos, enquanto que os nipónicos tinham apenas quatro.

Esta era a segunda participação da equipa liderada por Aliou Cissé em fase final de Mundial, onde a equipa vinha de um ciclo de sete jogos sem perder. Em 2002, a mítica selecção liderada pelo capitão, Aliou Cissé, só caiu nos quartos de final, quando perdeu no prolongamento frente à Turquia por 0-1. Isto quando já tinha vencido na fase de grupos a campeã em título, a França, por 1-0, empatado a uma bola com a Dinamarca e empatado de novo, desta feita a três bolas, com o Uruguai. Nos oitavos de final, os senegaleses eliminaram a Suécia por 1-2.

Termina assim, o “sonho” africano das cinco selecções presentes na maior competição de países de todo o planeta.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.