PAICV vai a votos em São Vicente: o contar das espingardas

16/11/2012 00:06 - Modificado em 16/11/2012 00:02

As denúncias de irregularidades marcaram as duas candidaturas. Mas o certo é que nenhuma teve provimento. E até hoje, não houve nenhuma impugnação

 

 

O PAICV em São Vicente vai a votos no Domingo para eleger o novo presidente da Comissão Política Regional. O cargo é disputado entre João do Carmo e Alcides Graça que apesar das intenções de alcançar um consenso, acabam por se enfrentar nas urnas. E a hora é a da contagem das espingardas.

Uma contagem que nem sempre é fácil de se fazer e que tem como base os elementos que estiveram nas apresentações públicas das candidaturas. E nesse cômputo, onde até os jornalistas que estavam na sala foram contados, tanto Carmo como Graça reclamam vantagem. Outra conta tem a ver com os subscritores das candidaturas. A de Carmo teve 190 subscritores e a de Graça 167. Mas, fora a contagem das espingardas que se faz em política, isso não quer dizer nada.

 

Irregularidades

 

As denúncias de irregularidades marcaram as duas candidaturas. Mas o certo é que nenhuma teve provimento. E até hoje, não houve nenhuma impugnação.

 

No entanto, a candidatura de Alcides Graça alegou que a candidatura de João do Carmo deu entrada fora do prazo e parece que, de facto, isso aconteceu. Mas não passou de uma denúncia com algum eco na comunicação social. A candidatura de João do Carmo alegou que Graça não podia ser candidato porque não estava recenseado. E é verdade porque quando foi feito o recenseamento dos militantes do PAICV Graça não era militante. O NN sabe que a sua inscrição foi ordenada pelo secretário-geral dos tambarinas. Assim, parece que no que toca a irregularidades não sancionadas, as duas candidaturas estão empatadas.

  1. CidadaoCV

    “A educação começa em casa”. Como é que os partidos políticos querem que o povo acredite neles, respeitante a irregularidades nas eleições, se nas eleições internas praticam irregularidades?

  2. Cidadã

    Vergonha geral. Um partido com os pergaminhos do PAICV, lança mão de um pseudo militante para candidato a presidente da CPRSV… Só porque é preciso correr com o João do Carmo!!!! o partido não tem militantes? Esqueceu os seus valores? Desde quando se desrespeitam os estatutos e admite-se um militante, fora do prazo de recenseamento, com recurso a um despacho???? Muito mal anda o PAICV!!!!

  3. Militanter atento

    Se o armindo mauricio mandou inscrever o tcheps nos cadernos eleitoriais, mesmo se ser militante, porque é que ele não fez o mesmo com todos os outros militantes que ficaram de fora e interpuseram recurso, alguns dos quais mais antigos que o rpoprio JMN no paicv. Vale tudo para não deixar o joao do carmo ganhar. Aliás a Dona Filomena já chegou em são vicente com o recado da direcção nacional que o tcheps tem de ganhar a qualquer custo (inclusive com indicações para realização de fraude).

  4. Nelson Cardoso

    De quando é o recenseamento? 2010?

  5. MariaCrescência Mota

    Eu apoio o Alcides Graça porque tenho as minhas convicções e valores. E também as minhas razões… por isso subscrevi a candidatura.
    Mas sé assim que as coisas no meu partido estão, se já ninguém respeita a nossa carta magna, os nosso estatutos, eu não vou mexer mais nenhuma palha. Assim não dá. Desisto!!! Logo eu, que que tanto prezo os estatutos, que ando com eles debaixo do braço para mostrar aos cristãos novos como é que é…

  6. José Pedro

    A estória de que foi o SG quem mandou incluir o Alcides Graca na Base de Dados, quando se sabe que centenas de militantes nao constam nessa Base dé Dados pela bandalheira a que o João do Carmo votou a Organização durante esses Oitos anos que a dirigiu et uma encomenda do Graciano, o financiador do NN atraves do FDP. O Alcides entrou porque a sua ficha, por acaso, foi enviado para Praia e ele fez a reclamação no prazo de 8 dias que foi fixado e publicado pela Comissão de Jurisdição.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.