MpD recua e agenda debate sobre a regionalização para Outubro

21/06/2018 06:51 - Modificado em 21/06/2018 06:51
| Comentários fechados em MpD recua e agenda debate sobre a regionalização para Outubro

O MpD anuncia a suspensão do debate sobre a lei que cria as regiões e que estava agendada para a próxima sessão parlamentar para o mês de Outubro. Como explica o Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do MpD, o Deputado João Gomes, esta é uma demonstração que o partido quer que haja uma regionalização em Cabo Verde.

“Para demonstrar que o MpD deseja a regionalização e que carece de uma maioria de dois terços para a aprovação, informo que em concertação com o Primeiro-ministro, decidimos suspender e retirar da agenda a discussão deste diploma para que o mesmo seja reagendado em Outubro de modo a dar ao PAICV tempo para se debruçar sobre o tema para não dizer que não queremos”, avança João Gomes.

Este deputado refuta as críticas do PAICV de que o MpD não está interessado na regionalização do país: “Para o MpD, o importante é termos uma lei e temos trabalhado de modo a darmos uma oportunidade ao PAICV para se debruçar sobre o tema”. O mesmo defende que não foi nenhuma surpresa o agendamento do debate para a próxima sessão. Isto quando o PAICV afirma que os partidos ainda não chegaram a um consenso sobe a regionalização, uma vez que os dois lados defendem pontos de vista diferentes sobre a regionalização.

Para João Gomes, o MpD fez de tudo para que o diploma fosse discutido e aprovado na próxima sessão. “Para o governo do MpD, uma regionalização não é um capricho mas uma reforma do Estado que quer implantar. Foi um compromisso de campanha porque está convicto que a regionalização irá trazer ganhos”.

Assim, a proposta vai a debate em Outubro, esperando nos consensos necessários para a sua aprovação. Esta declaração surge na sequência do balanço feito pelo MpD das jornadas parlamentares durante a preparação para a sessão parlamentar de Junho, sessão que irá debater questões de política interna e externa, interpelação sobre o programa de emergência para a mitigação da seca e do mau ano agrícola de 2017/2018, apreciação do relatório da comissão parlamentar de inquérito sobre os actos de gestão da TACV.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.