Sokols preocupado com património histórico do Mindelo

20/06/2018 01:22 - Modificado em 20/06/2018 01:22

O Sokols tem demonstrado a sua preocupação com a “destruição do património histórico de São Vicente”. A Praça Doutora Maria Francisca, “praça dos namorados”, tem sido a última preocupação do movimento. Em relação ao património, Salvador Mascarenhas, do Sokols, diz que “muitas vezes temos uma sociedade que não procura e não investiga, devido ao sistema e à falta de aceso, e as pessoas não se apercebem da importância da destruição histórica”. E não é o primeiro património que o movimento considera que está a ser destruído, sendo o antigo consulado inglês outro exemplo.

As obras na praça já iniciaram. E o projecto da obra já circula nas redes sociais: a construção de uma esplanada. Para Arlindo Araújo, “a maior parte das pessoas não tem noção do valor do património e não tem a noção da riqueza que se vai destruir”, enquanto que Mascarenhas avança que se pode conviver com o moderno mas perseverando o antigo.

Neste aspecto, a homenagem que a praça “fazia” a quem Salvador Mascarenhas considera uma heroína: “Talvez não exista muita memória porque não temos um museu da cidade e não temos nada que preserve a nossa memória. E neste caso, há coisas que não fazem sentido, como vender uma praça e não podem fazer uma construção num espaço público sem socializar. Está-se a destruir a memória de uma cidade, um espaço que é próprio da cidade.

Uma das sugestões era a de manter a praça, construindo a esplanada “que não é pública e que não presta nenhuma homenagem”.

Arlindo Araújo defende ainda que é preciso começar a construir correctamente e não enchendo todos os espaços da cidade com construções. Defende que construções e investimentos podem começar a ser feitos noutros lugares e não apenas no centro, com o perigo de desfigurar a cidade. “Pode ser um grande atractivo para o turismo cultural. Quando se destroem estas coisas retira-se automaticamente esta possibilidade”.

Mas, como defende Mascarenhas, o grupo não é contra as construções nem contra a criação de empregos. “Somos a favor da preservação da nossa história e da nossa herança cultural e é bem possível, através da arquitectura, conseguir coadunar as duas coisas. Mas esta política de terra queimada, não. Somos contra transformar a nossa história num entulho para deitar abaixo”.

Como defende Salvador Mascarenhas, deve-se preservar o património mas a Câmara tem feito o contrário e existe uma série de estudos sobre o património, mas há pouca vontade em colocá-los em prática. O mesmo passa a responsabilidade para as pessoas na preservação do património alertando para que não se fique apenas pelas palavras.

A crítica ao movimento Sokols neste particular prende-se com o estado de abandono em que se encontrava a praça. “À pergunta: quem a abandonou? A resposta é: Foi a Câmara! Talvez foi propositado, como já se começa a sentir com a Praça Estrela”. E a sugestão é a de cuidar do espaço, embelezando-o. Para Araújo, é uma zona bonita e a cidade começa a aproximar-se dela e vai ser destruído num momento. E o grupo não acredita na existência de uma política do património.

  1. vitoria regia

    Mas se temos uma Camâra BURRA, o que esperar dessas pessoas que sequer qualificação intelectual têm?!!! É horrivel continuar a viver nesta cidade derrotada da sua história! Os mindelenses dormem ou quê?! A cidade intelectual, onde está? Sucumbiu com os claridosos?!!! Estou deveras triste por ter de conviver com camarários de cimento armado! FORA!

  2. António

    Em S.Vicente é moda reclamar tudo. Que de concreto essa praça tinha como valor patrimonial? Se fosse a casa da Dra Maria Francisca (sindicato), até compreenderia, mas tenham juizo. Falando da Praça Estrela, porque é que não reivindicaram na altura em que destruiram todas as estrelas que compunham essa praça, para dar lugar ao que está hoje? Porque é que não exigem a reconstituição da História de Cabo Verde desde a chegada dos Portugueses, incluindo as torturas do Paigc nos livros escolares? também é um patrimómio. Sejam coeirentes.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.