Festas de São João no Porto Novo estão orçadas em 19 mil contos

19/06/2018 07:51 - Modificado em 19/06/2018 07:51
| Comentários fechados em Festas de São João no Porto Novo estão orçadas em 19 mil contos

O programa das festas de São João no Porto Novo está orçado, este ano, em 19 mil contos e, de acordo com o Presidente da Câmara do Porto Novo, a autarquia tem tudo preparado para que o Porto Novo tenha “um grande São João”, à semelhança do ano passado, garantindo que não há nenhum outro evento nesta ilha com retorno tão bom e imediato como as festividades do santo padroeiro do Porto Novo que se celebra este ano sob o signo de património imaterial nacional.

Por estes dias, a Câmara está a ultimar a montagem da logística para a realização dos espectáculos que têm o seu auge agendado para o dia 23 de Junho com a peregrinação dos fiéis transportando a imagem do santo padroeiro entre Ribeira das Patas e a cidade do Porto Novo, num percurso de mais de 20 quilómetros.

Fora do foro religioso, à semelhança do ano passado, o antigo estádio municipal Amílcar Cabral vai ser palco dos bailes populares, abrilhantados por vários artistas nacionais e estrangeiros, com destaque para o angolano Yuri da Cunha, os cabo-verdianos Djodje e Jeniffer Dias, além dos grupos Cordas do Sol, Livity e Bulimundo.

Considerada a melhor festa de São João do país e que atrai milhares de visitantes, de acordo com a Inforpress, todas as unidades turísticas do Porto Novo têm esgotadas as reservas para as festas. As unidades hoteleiras estarão cheias entre os dias 20 e 24 de Junho, altura em que o Porto Novo conhecerá uma movimentação fora do normal de pessoas que procuram este Concelho para assistir às festividades do santo padroeiro.

“A partir do dia 20 de Junho, não haverá alojamento no Porto Novo. Os operadores e as pessoas, de uma forma geral, têm de criar as condições para tirarem o maior proveito das festas de São João, criando as condições para receberem os visitantes e obterem rendimentos”, declarou o edil, Aníbal Fonseca.

A ideia, segundo o autarca, é criar as condições para que estas festas, elevadas em 2017 à condição de património imaterial nacional, sejam sustentáveis, estando na forja a criação por parte de privados nacionais e estrangeiros, de unidades hoteleiras de média dimensão, que vão permitir, nos próximos anos, albergar os visitantes.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.