Concertação social: tudo bons rapazes

15/11/2012 00:21 - Modificado em 15/11/2012 00:21

Governo, partidos políticos, sindicatos, patronato estão contentes com o acordo a que chegaram em sede de concertação social. Tão felizes que o acordo de concertação estratégica para esta legislatura mereceu a unanimidade dos parceiros.

 

O Governo sai reforçado quando noutros fóruns alguns dos mesmos parceiros consideravam que essa estratégia iria conduzir o país para o cabo das tormentas. Mas o Primeiro-ministro veio dizer que o acordo permite conduzir o país a bom porto: “É fundamental esse acordo, porque garante a paz social e a criação de condições favoráveis para o crescimento da economia cabo-verdiana”, disse.

Do lado do MpD, apesar da reacção positiva ao acordo, o líder Carlos Veiga veio dizer que não acredita que vai ser cumprido na íntegra. Do lado do PAICV, Armindo Maurício considerou os sindicatos e o patronato como “principais parceiros do Governo na procura de soluções para o futuro dos cabo-verdianos”.

Os líderes sindicais assinaram o acordo parecendo aquele sujeito que vendeu a alma ao diabo e que depois se arrependeu. Isto tendo em consideração as declarações públicas. José Manuel Vaz disse que a Confederação Cabo-verdiana de Sindicatos Livres reserva-se no direito de não abdicar da luta para repor o poder de compra dos trabalhadores. Júlio Ascensão Silva da UNTC-CS ficou-se por um “moderadamente satisfeito”.

Mas as contas do rosário dos sindicalistas saem pejadas de velhas reivindicações que vão ser contempladas no acordo, a saber: implementação do novo PCCS, o Salário Mínimo Nacional (SMN) que entra em vigor a partir de Janeiro de 2014, e a participação do patronato e dos trabalhadores na gestão do INPS. Afinal,  é tudo bons rapazes!

  1. JOMALORALI

    QUANTO A ESSE ACORDO DE CONCERTAÇÃO SOCIAL, EU QUERIA DEIXAR 3 RECADOS:
    1º AO GOVERNO: O SR. JOSÉ MARIA E SUA MALTA NÃO TÊM VERGONHA DE SUFOCAR OS CABOVERDIANOS PARA PODEREM FINANCIAR SEUS PROGRAMAS DE LUXO? O AUMENTO SIGNIFICATIVO QUE O SR. TANTO FALOU É DE 3% SR. PRIMEIRO MINISTRO?
    2º AOS SINDICATOS: O QUE OS SINDICATOS QUERIAM ERA SÓ A PARTICIPAÇÃO NA GESTÃO DO INPS. LÁ TEM LEITE PARA MAMAR. ELES NÃO DEFENDERAM OS INTERESSES DOS TRABALHADORES.
    3º AOS FUNCIONÁRIOS: CUIDADO COM OS TRAÍDORES

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.