Marcha pelas crianças desaparecidas: “A dor é de todos nós, estamos juntos nesta causa” – organização

1/06/2018 12:53 - Modificado em 1/06/2018 12:56
| Comentários fechados em Marcha pelas crianças desaparecidas: “A dor é de todos nós, estamos juntos nesta causa” – organização

dig

Esta sexta-feira, 01 Junho, Dia Internacional das Crianças, Mindelo respondeu ao apelo para mostrar a sua solidariedade para com as famílias de crianças desaparecidas e pedir respostas sobre os casos de crianças desaparecidas recentemente. Apesar da fraca adesão das pessoas, os que estiveram presentes engajaram e juntos fizeram o percurso estabelecido. São principalmente mães de família, que juntamente com os filhos, trajados na sua maioria de branco pedem as autoridades respostas e mostram a sua consternação sobre os casos.

O Noticias do Norte falou com alguns participantes sobre este assunto que choca a todos e que está a deixar preocupada e alerta a sociedade em relação as suas crianças.

dav

Uma marcha, também que serviu para relembrar casos de crianças desaparecidas na ilha de São Vicente há anos e que até agora, não houve respostas das autoridades e as famílias continuam a viver na angustia de não saber o que lhes aconteceu. Se estão vivos ou mortos, não sabe como ela está vivendo, não sabe se ela está passando necessidades, você não sabe de nada. “Você vive com uma angústia sem fim, e talvez fique assim até o fim de sua vida”, diz uma mãe em conversa com este online em resposta a questão dos desaparecimentos. Esta dúvida, conforme relatam é pior de todas.

Entretanto, Soraia Dias, responsável pela organização e também mãe, disse que organizar esta marcha num dia tão importante e com a simbologia que possui, mostra que todos estão juntos nesta causa e também para alertar as pessoas, familiares das vítimas que estamos juntos e aderimos a sua causa e aderimos a eles. “A sua dor é a nossa dor”.

“O nosso maior objectivo foi um pedido de resposta e acreditamos que a mensagem foi bem transmitida”, ressalva a responsável que mostra-se bastante satisfeita com a quantidade de pessoas que aderiram a causa.

As principais mensagens, foram de basta, queremos mais segurança, queremos as nossas crianças de volta e não queremos mais crianças a desaparecer.

Em representação ao movimento SOKOLS, Carlos Araújo afirmou aos jornalistas que o importante é a mensagem transmitida. Na sua óptica diz que houve uma grande moldura humana, de mulheres preocupadas com os seus filhos e com os filhos dos outros. “Estas representam a população”.

“Estou feliz porque afinal são Vicente ainda tem pessoas preocupadas com esta situação”, diz este porta-voz da SOKOLS, cujo envolvimento, assegura foi no sentido de ajudar na organização da marcha. “Solicitaram o nosso apoio e respondemos prontamente”, garante.

Elvis Carvalho

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.