Presidente da CMPN quer  Aeroporto internacional e resorts de maiores dimensões na ilha de Santo Antão

31/05/2018 02:57 - Modificado em 31/05/2018 02:57

Santo Antão, além do aeroporto internacional que deverá começar a ser construído a partir de 2020, terá também, “num futuro não muito distante, resorts de dimensões maiores” para servir o turismo e a economia da ilha.

Quem o anuncia é o presidente da Câmara Municipal do Porto Novo, Anibal Fonseca, considerando que o futuro aeroporto de Santo Antão, cujos estudos decorrem desde 2016, constitui “um grande objectivo” desta ilha para o incremento do turismo”, na região.

“Já estamos a trabalhar com o Governo e, a partir de 2020, pensamos iniciar a construção do aeroporto para servir o turismo e economia de Santo Antão”, sublinhou o autarca portonovense, que falava, esta quarta-feira, na abertura do seminário internacional sobre o ecoturismo, que se realiza no Porto Novo.

Anibal Fonseca admitiu a possibilidade de, “num futuro não muito distante”, a ilha de Santo Antão receber “resorts de dimensões maiores” para servir o turismo, apesar do foco desta ilha centrar “sempre no turismo de natureza e cultural”.

“Podemos ter aqui, num futuro não muito distante, resorts de dimensões maiores, mas o nosso foco será sempre no turismo de natureza, que tem um grande valor acrescentando em Santo Antão”, explicou o edil portonovense.

No seu entender, Santo Antão, com as paisagens, gastronomia e morabeza das suas gentes, é uma ilha “extraordinariamente bela”, com muito contraste, onde o turismo, apesar do crescimento registado, nos últimos anos, é ainda residual, comparado com Boa Vista e Sal.

“Mas, estamos satisfeitos com o que temos e queremos caminhar neste sentido”, ressaltou Anibal Fonseca, para quem Santo Antão não está vocacionado para o turismo de massa.

O seminário internacional sobre o ecoturismo, que conta com a presença de especialistas das Canárias, Açores e Madeira, foi aberto pelo presidente da Associação Nacional dos Municípios, Manuel de Pina, que realçou a importância deste evento para a promoção do turismo em Santo Antão e Cabo Verde.

O seminário, com duração de dois dias, realiza-se no quadro do projecto Eco-Tur, financiado, em 250 mil contos, pela União Europeia (UE), através do programa de cooperação territorial entre Portugal e Espanha.

O projecto Eco-Tur, que consiste na criação de rotas turísticas para a promoção do turismo de natureza, está presente em Santo Antão através do município do Porto Novo, explicou Manuel de Pina.

Este seminário, co-organizado pela Câmara Municipal do Porto Novo, faz parte de uma série de 17 fóruns sobre o ecoturismo previstos para os próximos dois anos, no âmbito do Eco-Tur, tendo as Canárias e os Açores já recebido esse acontecimento, que visa debater o turismo de natureza e ecológico.

O Eco-Tur, que já colocou à disposição do Porto Novo, um dos municípios beneficiários do projecto, 35 mil euros (quase quatro mil contos) para a criação de miradouros e de uma rota turística, tem como propósito a conservação e valorização do património natural e etnográfico, através de criação de produtos turísticos.

Além do Porto Novo, a rede internacional Eco-Tur inclui ainda sete municípios das Canárias, quatro dos Açores, dois da Madeira e ainda, como associados dos terceiros, municípios da Mauritânia e Senegal, presentes no seminário, em Santo Antão.

Hoje, no primeiro dia do seminário foi debatido o tema “Ecoturismo em Cabo Verde e no Porto Novo”.

O turismo que se pratica em Santo Anão, ligado à natureza, tem crescido nos últimos anos, tendo em 2017, ano em que Santo Antão recebeu mais de 26 mil turistas, registado um crescimento de quase 24% em relação a 2016.

 

Inforpress

  1. Fernando Assis

    Se já existem problemas em construir um aeródromo em Santo Antão devido à sua orografia, agora já pedem um aeroporto internacional para a ilha. Faltam só Brava e São Nicolau para reivindicarem também o seu aeroporto internacional. Se os aeroportos inernacionais da Praia, do Mindelo e da Boa Vista já estão perdendo a sua operacionalidade porque agora as viagens internacionais de e para Cabo Verde passam a ser feitas via Sal como antigamente, agora vem uma ilha montanhosa como Santo Antão exigir um aeroporto internacional. Isto não deixa de ter alguma piada.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.