BAC passa a operar de dia

14/11/2012 00:00 - Modificado em 14/11/2012 00:02

A Brigada Anti-Crime está a desenvolver um plano de acção para combater a pequena criminalidade registada em diversos bairros da ilha de São Vicente. Para executar o trabalho na perfeição, o comando da BAC teve que alterar os moldes de actuação, isto é, a unidade passou a operar de dia e de noite para garantir a segurança dos cidadãos.

 

O NN apurou que o comando da Brigada Anti-Crime na ilha de São Vicente está a executar uma operação policial para diminuir o número de assaltos nos bairros, no centro da cidade, nas portas das escolas e evitar a ocorrência de conflitos entre jovens.

O combate à delinquência juvenil, violência gratuita nas ruas do Mindelo e jogos de fortuna e azar também fazem parte deste plano de actuação tendo em conta uma nova realidade: a tendência para a proliferação da pequena criminalidade em São Vicente.

Mas a nova missão dos “ninjas” acarretou algumas alterações dos moldes aquando da criação dessa unidade. A BAC continua a utilizar as máscaras para a preservação da identidade dos elementos integrantes desta brigada, mas a novidade é que estão a actuar no período diurno e nocturno para mudarem o panorama da criminalidade em São Vicente.

Segundo o comando da BAC “esta unidade não pode deixar que a pequena criminalidade passe despercebida, ou seja, que os cidadãos continuem a ser vítimas daqueles que vivem às custas de práticas ilícitas. Por isso, envidamos esforços para combater essas práticas com a mesma presença regular nos bairros mas, desta feita, em dois períodos para interceptar de forma rápida e eficaz os marginais”.

Questionado se o plano está a surtir efeitos, o comandante da BAC assegura que vários indivíduos já foram detidos e apresentados ao tribunal para a aplicação de medidas cautelares e diversos objectos provenientes de práticas ilícitas foram recuperados.

Quanto à vigilância nas escolas e ao combate aos jogos de fortuna e azar diz que “vários indivíduos foram afastados das portas dos estabelecimentos de ensino cuja intenção era a de perturbar o funcionamento dessas instituições. Detivemos alguns indivíduos a jogar o jogo das apostas, que por lei é ilegal, e sabe-se que existem alguns que praticam delitos para arranjar dinheiro”.

  1. Mindelense

    Cada vez eu fico mais impressionado com o trabalho destes policiais. Como pai e encarregado de educação venho aqui congratula-los pelo excelente trabalho de abordagem a indivíduos estranhos as escolas. Há dias assisti uma e fiquei muito contente, eles tinham mesmo cara de bandidos e já os tinha vistos com ações suspeitas nas traseiras da mesma escola, aliás sempre ligo para o 132 quando vejo individuos suspeitos nas portas das escolas. PARABÉNS BAC, CHOCADA, PIQUETE, JUDICIÁRIA, ETC…

  2. Toy Duarte

    Há profissões que marcam mais as pessoas numa sociedade. Destaco a do médico, do professor e do polícia. Quando bem exercidos, concorrem para que seus titulares obtenham uma grande simpatia por parte das pessoas. A função do polícia é, basicamente, combater o mal, nas suas múltiplas manifestações. O médico deve ser sempre muito paciente e muitas vezes, explicar tin-tim por tin-tim qual o quadro clínico do seu doente, sempre com um sorriso e uma boa dose de humor (qb), explicando o que faz e porquê. O professor tem por função completar a educação/formação iniciada pelos pais no lar, para que aos alunos sejam cidadãos válidos amanhã. Bem hajam os que exercem estas funções norteados por estes princípios. Parabéns BAC.

  3. Mindelense

    Sou um defensor acérrimo dos Ninjas, pois, nesta injustiça toda do nosso sistema judiciário, e bem como da preguiça mental dos nossos decisores políticos, eles tem garantido a segurança dos mindelenses, com muito esforço, poucos recursos, e nehuma recompensa.

    No entanto, e ainda que concorde que eles patrulhem a cidade 24h/dia, por favor tenham cuidado pois, a noite esconde melhor um rosto encapuçado, tornando dificil a identificação dos agentes. De dia, e numa ilha pequena, e sobretudo, fofoqueira, fica fácil para os bandidos identificarem os agentes, podendo estender as represálias para os familiares, os quais, e a semelhança dos agentes, não terão a proteção do sistema judicial.

  4. Mindelense

    De Mndelense para Mindelense, a polícia não pode ter medo dos meliantes, bandidos, parasitas e inúteis, senão, irão dominar a cidade e o país. O combate ao pequeno crime e ao crime organizado é uma guerra sem trégua, não têm de ter medo, se algum familiar sofrer represálias, eles deverão se reunir, perseguir e punir severamente. Não podemos cair nas mãos de um pequeno grupo, aqui entra todo o cidadão honesto, trabalhador e amante da paz, fazendo denúncias anónimas, dando indicações a polícia.

  5. Mindelense

    Para além de ser fã, se fosse empresário, de certeza que contribuiria com combustível para ajudar no trabalho de patrulha da nossa cidade, e quem sabe até outras coisas, que ainda teimam em não utilizar nas intervenções contra a criminalidade!!!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.