PGR não trouxe nenhuma novidade sobre a investigação ás crianças desaparecidas

11/05/2018 07:45 - Modificado em 11/05/2018 07:45
| Comentários fechados em PGR não trouxe nenhuma novidade sobre a investigação ás crianças desaparecidas

O Procurador-Geral da República voltou a falar sobre as crianças desaparecidas na cidade da Praia , mas não trouxe nenhuma novidade . Disse o que tinha dito no mês de Março : “ acredita que as crianças desaparecidas vão ser encontradas com vida

Óscar Tavares afirmou que o terceiro relatório intercalar, do qual teve acesso na quarta-feira, indica que há indícios que essas crianças ainda estejam com vida.
“O relatório efectuado pela equipa de Investigação Conjunta aponta que há avanços do ponto de vista da investigação mas, infelizmente, não conseguimos atingir o principal objectivo que é recuperar as crianças e entregá-las às famílias”,
O PGR voltou a escudar-se no segredo de justiça sublinhando que há questões que não podem ser divulgadas p mas que “a equipa de investigação está confiante que as crianças ainda estejam vivas”. Assim não se sabe em que se baseia essa convicção .
O Procurador-Geral da República assegurou que a resolução deste caso constitui uma prioridade e para tal estão a trabalhar com a cooperação internacional no sentido não só recuperarem as crianças e devolvê-las às famílias, mas também de punirem os responsáveis por esses actos.
“Estamos a trabalhar a nível da cooperação internacional porque não temos experiência nestes casos com esse nível de gravidade. Devemos trazer essa experiência do ponto de vista da investigação de países que têm meios, condições e outras possibilidades que nos podem auxiliar e é neste quadro que estamos esperançosos”, salientou indicando que a equipa tem partilhado informações a nível internacional através da rede da Interpol.
O primeiro caso de desaparecimento aconteceu em Agosto de 2017, com Edine Jandira Robalo Lopes Soares, 19 anos, que deixou a casa em Achada Grande Frente, alegando levar o bebé para o controlo no Programa Materno-Infantil (PMI), na Fazenda, sendo que, até hoje, mãe e filho continuam desaparecidos.
Em Novembro de 2017, Edvânea Gonçalves, de 10 anos, residente em Eugénio Lima, também desapareceu de forma misteriosa e até agora não se sabe do seu paradeiro.
O mais recente caso aconteceu a 03 de Fevereiro, onde Clarisse Mendes (Nina), de 9 anos, e Sandro Mendes (Filú), de 11, saíram de casa para irem comprar açúcar em Achada Limpo, na Cidade da Praia, e não regressaram.
Devido à natureza dos processos, por despacho do PGR foi criada uma equipa conjunta, composta por elementos da PJ e da PN, coordenada por um Procurador da República, para trabalhar exclusivamente nestes casos.

  1. CidadaoCV

    Pois é … se daqui a cinquenta ou cem anos as crianças não forem então encontradas, haverá sempre “indícios” de estarem vivas. Por um motivo básico; sem corpos não há mortos.

  2. José Moreno

    É triste em vez do governo estar a ameaçar os agentes da autoridade devia estar a apoiá-los senão ele e a sua equipa governativa é que investigar

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.