PP  acusa o governo de esbanjamnto de recursos publicos

7/05/2018 06:44 - Modificado em 7/05/2018 06:44

A direção do Partido Popular de Cabo Verde (PP) mostrou-se hoje “insatisfeita” com a forma como o Executivo do Movimento para a Democracia (MpD) tem liderado os destinos do país, sobretudo pelo “esbanjamento do dinheiro público”.

Em conferência de imprensa na Cidade da Praia no final da reunião quinzenal para analisar os temas da atualidade, a direção nacional do PP abordou questões como as jornadas parlamentares em Portugal do partido que sustenta o Governo, o Novo Banco, o dinheiro gasto nas festas de Nhô São Filipe (Fogo) e a descida de Cabo Verde no relatório dos Estados Unidos da América (EUA) sobre a liberdade de imprensa.

Para Guilhermina Araújo, membro da direção nacional do PP, é “inadmissível” o facto de o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, ter criticado os jornalistas em relação ao relatório sobre a liberdade de imprensa, em que Cabo Verde desceu duas posições, fazendo acreditar que esses profissionais “não têm credibilidade”.

“O MpD fez campanha para a esquerda, mas tem governado pela direita”, disse ela, justificando que o Governo tem “gasto mal o dinheiro público” e que “não está a pensar no povo” que precisa de emprego, saúde, segurança e outros problemas que têm afligido os cabo-verdianos, como as consequências do mau ano agrícola.

Segundo Guilhermina Araújo, o facto de o grupo parlamentar do MpD ter ido fazer as suas jornadas parlamentares em Portugal para a sessão parlamentar de Maio, mostra que há uma “esbanjamento do dinheiro dos contribuintes” e que o Executivo “não está atento às necessidades da população”.

Por sua vez, o presidente do PP, Amândio Barbosa Vicente, chamou a atenção pelo facto de ainda não ter sido assacada as responsabilidades em relação ao Novo Banco, porque, acrescentou, apesar da justiça em Cabo Verde estar com “muita suspeição”, ela tem que atuar para encontrar os culpados na gestão do referido banco.

“A criação do Novo Banco foi uma manobra para desviar dinheiro que é de todos para um grupinho do MpD e outro do Partido Africano da Independência de Cabo Verde-PAICV”, acusou, ressaltando que o dinheiro é de todos os trabalhadores, já que o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) era accionista.

Amândio Barbosa Vicente mostrou-se também “inconformado” pelo facto de a Câmara Municipal de São Filipe ter gastado 25 mil contos para as festas do município, quando 56% da população é pobre, aproveitando para questionar o edil Jorge Nogueira se mais de cinco dias de festas é bom para os jovens.

“Pergunto se os seus pais o tivessem deixado a festejar e a envolver-se em álcool e droga, se hoje ele era presidente da câmara. É isso que ele quer para a juventude de Cabo Verde? É essa a promessa que fez à juventude? Nós do PP somos contra isso”, disse, rematando que o PP vai estar sempre atento a essas questões.

 

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.