Bombeiros Municipais de São Vicente entregam pré-aviso de greve de três dias

19/04/2018 13:02 - Modificado em 19/04/2018 13:02
| Comentários fechados em Bombeiros Municipais de São Vicente entregam pré-aviso de greve de três dias

sdr

Bombeiros Municipais de São Vicente ameaçam com pré-aviso de greve, para os dias 30 de Abril, 01 e 02 de Abril, em resposta ao silêncio da Câmara Municipal de São Vicente, que segundo o Sindicato da Indústria, Agricultura, Comércio, Serviços e Afins, SIACSA, desde do dia 22 de Março, altura em que foi entregue um caderno reivindicativo à edilidade onde consta um conjunto de situações, e que este sindicato é do dever da edilidade intervir e para que possa haver uma resposta o mais rápido possível sobre estas situações.

O pré-aviso de greve, entregue no dia 17 de Abril, segundo o delegado sindical do SIACSA, Jailson Aguiar é uma forma de fazer pressão a CMSV que desde do dia 27 de Março, altura da entrega do documento ainda não deu nenhum “feedback” a corporação.

“Vamos avançar com este pré-aviso, para ver se resolvemos o problema grave dos bombeiros, que tem vários problemas a nível de viatura, alojamento, e que o próprio espaço, nem parece ser um quartel de bombeiros”, diz Aguiar, que se mostra disponível para negociações com a edilidade.

“Estão a trabalhar em condições degradantes, sem meios humanos e materiais para desempenhar a sua difícil tarefa, que é a de assistir e proteger os outros em prol das suas vidas”, considera este delegado sindical que queixa ainda do facto de não haver promoções no seio dos bombeiros, desde de 2012. “O estatuto refere que de 4 em 4 anos são promovidos. E a Câmara praticamente os tem ignorado.

Outro ponto ainda prende com o número de bombeiros efectivos que existe quartel dos bombeiros de São Vicente que trabalha apenas com 19 bombeiros profissionais efectivos. “O que é muito pouco se termos em conta a demanda populacional e o número dos bombeiros não satisfaz”, bem como, materiais de trabalho, que segundo Jailson Aguiar, “para ser mais claro, os bombeiros, não possuem sequer uma lanterna”. Isto tudo, continua, para ver a proporção da situação.

Por seu lado, o bombeiro e delegado sindical Milton lima, diz que caso a Câmara esteja a ignorar a SIACSA, automaticamente, está a ignorar os bombeiros, isso porque “nos representam e estamos apenas a reivindicar questões pertinentes para a classe”, declara.

Este aponta, as situações que precisam urgentemente de serem resolvidas, como a segurança de carro de bombeiro, que de acordo com este delegado já foi solicitado uma inspecção a viatura e até agora nada, ainda o aumento de número de efectivos profissionais, melhorias de alojamento dos bombeiros, avaliação de desempenho, sendo uma profissão de carreira, afirma que é preciso avaliar as pessoas para os ajudar no crescimento, tanto profissionais, como pessoais.

Diz ainda que mais de 95 % da classe tem representatividade no SIACSA.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.