Suspensão dos voos da TACV: para os taxistas não compensa ir procurar frete no aeroporto

18/04/2018 10:45 - Modificado em 18/04/2018 10:45

No mês de Março, a TACV deixou de voar para São Vicente e os voos para o Aeroporto Internacional Cesária Évora foram suspensos, sendo que a ligação internacional da companhia é feita agora a partir da ilha do Sal. Uma decisão que afecta directamente os utentes e os serviços ligados ao transporte de passageiros como taxistas, agências de viagens e empresas exportadoras que se viram sem forma de exportar os produtos a partir da ilha para o mercado internacional. O NN propõe uma série de reportagens com alguns sectores de forma a entender até que ponto essa medida afecta ou afectará, os respectivos serviços. Iniciando pelos taxistas.

Os taxistas provêm um serviço de ligação entre o aeroporto e a cidade. E, em conversa com alguns taxistas sobre a medida, o sentimento é que a medida tem afectado de forma negativa a sua actividade, com a questão em mente se vale a pena ir com o carro vazio ao aeroporto na tentativa de conseguir algum passageiro.

Falando com Albertino, o mesmo argumenta que “de todas as formas, os taxistas ficaram penalizados” com a suspensão dos voos. O fluxo de passageiros era maior, segundo este taxista, que revela que antes justificava ir ao aeroporto mesmo com o carro vazio mas que, desde que os voos foram suspensos, já não justifica tanto ir. É uma forma de fazer fretes, mas agora, para te deslocares ao aeroporto tens de ter garantias de, pelo menos, um frete de ida e, na volta, com sorte, conseguir o frete de volta.

Essa opinião é partilhada também por Jaílson: “A suspensão dos voos internacionais da TACV para São Vicente afectou muito, muito, mesmo”. Ele faz um certa comparação entre o antes e o depois e afirma que antes conseguia mais fretes. Da sua análise, “não compensa esperar por passageiros no aeroporto”. Isto depois de vários taxistas partilharem da mesma opinião, isto é, que não se justifica deslocarem-se vazios para o aeroporto.

Com a suspensão dos voos por parte da TACV, a TAP aumentou a conexão para a ilha de São Vicente. O que trouxe um certo conforto para alguns taxistas. Elton concorda com a opinião de que se tem verificado uma redução de fretes mas que, até agora, as ligações da TAP vão dando alguma possibilidade de fretes. Mas que “não vale muito a pena neste momento” procurar frete através de voos.

Esta opinião não é partilhada por todos. Segundo Isidoro, a suspensão “não tem afectado muito”. E justifica a sua opinião nos constantes atrasos da TACV que “marcava o voo para uma hora e chegava muito atrasado”, perdendo algum tempo que poderia ser utilizado na procura de fretes. Para Isidoro, a Binter tem cumprido os horários e com as ligações da TAP, vai-se conseguindo tapar o buraco deixado pela TACV. De todas as formas, avança que conseguir fretes através do aeroporto é sempre “uma lotaria”, mas com as empresas que têm feito ligação à ilha “não se sentiu muito” a suspensão dos voos da TACV. Com os voos da TAP, Elton avança que não se sabe o que pode acontecer no futuro, apesar de não o perspectivar da melhor forma.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.