EUA: Mulher queimada pelo namorado irá testemunhar em tribunal depois de morta

16/04/2018 00:40 - Modificado em 16/04/2018 00:40

Esta é uma decisão inédita no estado norte-americano de Ohio

Judy Malinowsk foi regada com gasolina e ateada com fogo pelo ex-namorado em junho de 2015, numa estação de serviço, em Ohio.

A mulher, mãe de dois filhos, morreu cerca de dois anos após o incidente, devido às sequelas do mesmo. Antes de sucumbir, fez uma gravação onde detalha os acontecimentos daquele fatídico dia.

Agora, essa mesma gravação será ouvida em tribunal e servirá como testemunho contra Michael Slager.

“A Judy lutou para poder contar a sua história. Penso que este é o primeiro passo para aquilo que deve ser e será o seu legado”, afirma a mãe da vítima, citada pela NBC.

Judy Malinowski sofreu queimaduras de terceiro e quarto grau em 90% do seu corpo e foi sujeita a 52 cirurgias após o ataque.

A mãe revela que a filha estava “extremamente ferida”, mas mesmo assim conseguiu “articular detalhadamente o que aconteceu, onde estava e o medo que sentiu”.

A decisão de ouvir o testemunho de uma pessoa já depois de morta acontece pela primeira vez em Ohio e não terá sido bem aceite pela defesa de Michael.

 

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.