Mulher  acusada de burla agravada e falsificação de documentos  fica em TIR

12/04/2018 07:03 - Modificado em 12/04/2018 07:03

O  Tribunal do Sal aplicou-lhe Termo de Identidade e Residência como medida de coacção, apresentação periódica às autoridades e interdição de saída do país (seguido de apreensão do passaporte) à   uma cidadão portuguesa acusada da prática dos crimes de burla agravada e falsificação de documentos

A arguida foi conduzida sob custódia ainda na terça-feira, à ilha do Sal, onde foi presente nesta quarta-feira, 11, às autoridades judiciárias locais para o primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coacção.

De acordo com a Polícia Judiciária, a acusada foi detida na cidade da Praia, por ser suspeita de ter cometido um crime de burla agravada e falsificação de documentos junto da Companhia TAP, em Espargos, Sal, entre os meses de Agosto e Setembro de 2017 e, após a prática dos crimes, a mulher pós-se em fuga para a ilha de Santiago acabando por ser localizada e presa na cidade da Praia.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.