Roberta Rodrigues: “A cor da minha pele não me impede de fazer qualquer papel”

9/04/2018 00:14 - Modificado em 9/04/2018 00:14

Pronta para viver Doralice em “Segundo Sol”, a atriz conversou com a GLAMOUR sobre empoderamento, racismo e maternidade

Roberta Rodrigues é um mulherão: não tem medo de falar o que pensa, doa o seu talento (que não é pouco!) para o mundo e enfrenta qualquer situação difícil de cabeça erguida. Você ainda duvida de que ela é muito inspiradora?

Pronta para viver Doralice em “Segundo Sol”, a próxima novela das 9h, a musa revelou que é tão focada na profissão quanto sua personagem. Em entrevista à Glamour, ela também falou sobre empoderamento feminino, racismo e os desafios de criar sua Linda Flor, de 1 ano, em uma sociedade opressora. “O mundo está muito cruel, mas vou ensiná-la a ter força para vencer essa guerra que será longa.”

A atriz e cantora é ex-integrante do grupo Melanina Carioca, que leva muito suingue e amor pelo Brasil afora. E é no palco que Roberta lava a alma. “É lá que eu recebo toda a minha energia. Tiro a ruim, troco e pego a boa. Cantar é algo que me transforma e me deixa em êxtase, sinto um tesão muito louco”, conta. Atuar é tão natural que ela esquece das câmeras ao gravar. Plena!

A trama que substitui “O Outro Lado do Paraíso” é seu segundo trabalho após dar à luz em março de 2017 e Roberta acredita que os negros precisam aparecer mais na TV: “A gente precisa entender que esse povo existe e que esse povo precisa ser representado. Ainda falta muito, caminhamos muito lentamente. Nada de doses homeopáticas, quero doses ‘cavalares’. Quero muitos. Não somos poucos, somos a maioria.”

No bate-papo, ela esclareceu a polêmica em torno de sua próxima personagem. Em dezembro de 2017, circulou um boato de que Carol Castro foi substituída por Roberta em “Segundo Sol” pelo fato dela ser negra. “Em nenhum momento eu fui informada sobre essa questão da Carol Castro. A Rede Globo não troca atriz branca por atriz negra. Se troca, troca por atriz. Sou uma artista, assim como a Carol. Ela é uma artista incrível, maravilhosa, gênia. E eu também sou uma artista maravilhosa e gênia. Então a cor da minha pele em nenhum momento me impede de fazer qualquer papel.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.