UCID – Regionalização: “Referendo é querer inviabilizar o processo”

5/04/2018 11:54 - Modificado em 5/04/2018 11:57

Quando o debate sobre a regionalização passa da questão do modelo a adotar para, se deve haver ou não um referendo, a UCID, através do seu presidente, António Monteiro, defende que “não dever haver”. E justifica: “A posição deve ser política. Caberá ao governo decidir sobre esta matéria, e decidiu bem em apresentar esta lei, e achamos que este é o caminho, qualquer outra atitude propondo referendo ou coisas de outro tipo pensamos que é querer inviabilizar o processo de forma muito clara”.

Como sublinha Monteiro o modelo apresentado não é o modelo que o partido defende. Mas, “um coisa é termos o início de um processo que pode desembocar naquilo que o país precisa”, segundo Monteiro, “e outro é continuar neste processo que continua há anos”. A UCID não concorda com a proposta do governo, mas acredita que é um passo importante que está a ser dado.

E para a UCID o processo deve ser iniciado. E como avança Monteiro, agora que proposta deu entrada na Assembleia Nacional para discussão, em princípio não votará contra. Mas o voto a favor ou abstenção, depende da abertura do governo na aceitação de algumas propostas que o partido poderá fazer durante o debate no parlamento.

  1. Temóteo V. Tavares

    A ideia (ou decisão) de afastar in limine a possibilidade de referendo sobre a regionalização é própria de ditadores que se julgam donos de Cabo Verde somente porque foram eleitos para o cargo de deputado, ou seja, já que foram eleitos pelo voto popular, logo acham no direito de fazer deste país «cosa nostra» e decidir tudo o que acham que é bom para o país, esquecendo-se que o verdadeiro dono do poder é o povo e ele é quem mais ordena. Numa matéria tão controversa, como é a regionalização, seja qual for o modelo a adoptar, nada mais normal do que consultar (ouvir) os cidadãos cabo-verdianos. Mas isto não irá acontecer porquer os partidos políticos cabo-verdianos não são de carriz verdadeiramente democrático.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.