SLTSA  acusa a Secretária-geral da UNTC-CS de ingerência nas acções do sindicato

2/04/2018 02:17 - Modificado em 2/04/2018 02:17

O Sindicato Livre dos Trabalhadores de Santo Antão, “SLTSA”, na Ribeira Grande, que representa os trabalhadores do ICCA, agenda uma greve para os dias 12, 13 e 14 de Abril. Esta greve é convocada, segundo os responsáveis deste sindicato, sob o pretexto da publicação do aditamento no Boletim Oficial em Março de 2018 e que, segundo o sindicato, não corresponde a nenhum acordo entre as partes.

O sindicato reclama ainda da não implementação do PCCS do ICCA, em Janeiro de 2018, “conforme acordado em sede de mediação”.

O sindicato adianta que está aberto para um entendimento, desde que este satisfaça as partes e que o ICCA se demonstre, efectivamente, interessado em cumprir o que foi acordado.

O Sindicato denuncia ainda a “tentativa de uma alegada ingerência nas acções internas do STLSA” por parte da Secretária-geral da UNTC-CS.

Explica que na última visita realizada à ilha de Santo Antão, “desesperadamente, devido ao cerco criado por ela própria, em conluio  com alegados dirigentes do Sindicato dos Professores, assediou dirigentes do SLTSA e trabalhadores nele filiados para, de forma escondida, promover encontrar”.

Uma tentativa, segundo o SLTSA, de utilizar manobras pouco claras para atingir os outros dirigentes que, de alguma forma, não estão com ela. “Como vir falar mal de instituições públicas, de dirigentes dos sindicatos que não a deixam entrar nas suas organizações para promover todo o tipo de trapalhadas e ilegalidades que ela pretende. Mesmo sabendo que existe uma organização sindical em São Antão, ela vem de forma desorientada, mas premeditada, imiscuir-se nas acções de terreno quando é da competência exclusiva do SLTSA”, como se lê no comunicado assinado pelo Secretário permanente do sindicato,

O que o sindicato considera grave é a tentativa de manipulação, coacção de dirigentes, de outros sindicatos, “dividindo-os para reinar”.

Gomes considera que o sindicalismo está à deriva sem uma liderança firme e orientada pela central, UNTC-CS, como se verificava no passado.

  1. tomaz

    Os Apoiantes destes desmandos que vem sendo cometidos pela a SG devem chama-la a razão pq ultrapassou todos os limites minimamente aceitavel aquilo que vem fazendo. Na tentativa de aparecer ela atropela todas as regras principios e valores do sindicalismo em na vão tentativa de confundir a opinião publica que anda a fazer alguma coisa. Ela tenta substimar e passar para traz os Sindicatos que constituem a UNTC-CS. o que o Companheiro Carlos diz é a mais pura verdade todas visitas que ja fez, faz a agenda contata diretamente os trabalhadores sem falar com os sindicatos filiados na UNTC-CS, apresenta cadernos reevindicativos publicamente, quando este é o papel dos sindicatos do Ramo. ela perdeu completamente a noção, o poder fez muito mal a esta Senhora por isso apelo a todos os sindicatos filiados na UNTC-CS para darem um fim nesta situação a bem da Organização e do Sindicalismo.

  2. Ana Barreto

    A Joaquina está conseguindo fazer aquilo que alguem não conseguiu fazer nos anos 90 que era acabar com a UNTC-CS. Ela está na UNTC-CS por 2 motivos, o de distruir e por causa do dinheiro da venda do Centro Social Primeiro de Maio. Neste momento anda de ilhas a ilha acompanhado por pessoas que apenas querem aparecer, que não entendem do sindicalismo. Enquanto ela a destilar veneno e mentiras contra dirigentes honestos que não o apoia. Ela também está a andar a fazer intrigas contras dirigentes no seu posto de trabalho. Ex. Ministério da Educação.
    Essa senhora tem mau caracter, pode com a sua cara. Porque se fosse honesta já estaria longe da UNTC-CS, porque ninguem o quer. Somente pessoas sem escrupulos que o apoia. Infelizmente só sairá assim que o dinheiro do Centro Social Primeiro de Maio acabar. Ela já dizia que acabaria com ela e fecharia as portas. Temos de assumir. Somos culpados ao apoiar essa senhora sem escrupulos para estar a frente da UNTC-CS. Não conheciamos as suas facetas. Ela faz qualquer coisa por dinheiro. Ela não tem vergonha na cara. Passou vexame no Tribunal no dia 22 de Março e passará de novo no dia 5 de Abril. Levou testemunhas falsos para testemunhar contra uma das funcionárias despedidas. Ela pode com a sua cara. Qualquer pessoa naquela função demetiria mesmo com razão, ao ser levada como reu perante juiz. Mas para ela tudo é normal, os advogados estão a ficar humilhados no Tribunal. Mas estão lá apenas por dinheiro.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.