Papalélé ou “Papagolo” é sinónimo de golos e títulos

2/04/2018 02:04 - Modificado em 2/04/2018 02:04
| Comentários fechados em Papalélé ou “Papagolo” é sinónimo de golos e títulos

À beira de completar 20 anos em Maio, o jovem prodígio do Mindelense, Hélio Silva, ou, simplesmente, Papalélé, já é, sem sombra de dúvida, uma das figuras do futebol são-vicentino e, neste fim-de-semana, deu mais um título ao Mindelense frente ao Derby.

O jovem jogador de quase um metro e meio de altura começou o seu percurso nos juniores do Batuque onde foi bicampeão, passando para a Geração Benfica, onde também foi campeão. Em seguida, ingressou no Mindelense onde também foi campeão, regressando para os juniores do Batuque onde, na altura, conquistou novo título e melhor marcador da prova com 12 golos em 8 jogos disputados. Devido à trajectória brilhante e pela veia goleadora apresentada no seu currículo mereceu, na época 2016/17, uma oportunidade na equipa principal do Mindelense e, até ao momento, tem-se revelado uma aposta ganha por Rui Alberto Leite na frente do ataque.

O nome já é bem popular no futebol de São Vicente e já apelidam este jovem prodígio de “Papagolo” pois não se cansa de marcar e dar títulos ao Mindelense. Com mais um título alcançado no fim-de-semana frente ao Derby, Papalélé adicionou mais um troféu ao currículo invejável que já sustenta na sua tenra idade e ajudou, com dois golos importantíssimos, a conquista do “Tetra” do Mindelense.

A verdade é que após conquistar no ano de estreia o prémio individual de melhor marcador do Torneio de Abertura e o Campeonato Regional 2016/17, Papalélé arrancou também da melhor forma possível nesta época desportiva 2017/18 com o troféu de melhor marcador do Torneio de Abertura. A primeira volta do Campeonato Regional 2017/18 foi atípica, onde não conseguiu balançar as redes adversárias, pelo que prometeu golos na segunda volta e cumpriu, com 8 golos em 8 jogos, revelando-se decisivo para a conquista do tão esperado tetracampeonato para os “Leões da Rua da Praia”.

Sobre o jogo do título que levou milhares de pessoas ao Adérito Sena no sábado 31 e que testemunharam o título do Mindelense frente ao Derby ao cair do pano, Papalélé que este ano não conseguiu o prémio de melhor marcador da prova, esteve em alta, com dois golos, ambos apontados da marca da grande penalidade, isto é, aos 45 minutos da primeira parte e aos 98 da segunda. Ao NN, o camisola 10 sustenta que se sente “muito feliz” por marcar golos importantes e ajudar a sua equipa a atingir o objectivo. “Foi uma vitória saborosa num jogo que gerou muitas expectativas à sua volta e que ditava o campeão e vencemos. Acreditamos que ainda era possível marcar e conseguimos”, assevera o avançado.

Foi da marca dos 11 metros que Papalélé decidiu este jogo e o segundo golo foi aos 98 minutos, um momento que certamente gera calafrios, até porque o jogador tinha nos seus pés a responsabilidade de um título mas, com a frieza necessária, não desperdiçou. Instado a comentar esta sua especialidade em cobrar penalidades e em específico, o segundo que deu o título, o jovem de 19 anos garante que naquele momento só teve de manter a calma e ser frio e ajudar o clube a chegar ao título.

Já com os olhos voltados para o Campeonato Nacional que arranca no dia 07 deste mês, Papalélé assume que irá trabalhar ainda mais para continuar a marcar golos e, assim, ajudar o Mindelense a chegar ao grande objectivo. Para a prova maior de clubes do país, o atleta já tem definido o número máximo de golos que quer marcar, assumindo como objectivo ultrapassar os 10 golos.

Sobre o futuro, o camisola 10 dos Leões do Norte, ainda espera dar o salto pela Europa, vincando que se aparecer uma oportunidade será muito importante, garantindo que até ao momento ainda não há nada em concreto.  

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.