PAICV  diz o governo desmantelou a economia marítima . MpD diz que não encontrou nada para desmantelar

29/03/2018 02:05 - Modificado em 29/03/2018 02:05
| Comentários fechados em PAICV  diz o governo desmantelou a economia marítima . MpD diz que não encontrou nada para desmantelar

O PAICV, através do deputado pelo círculo de São Vicente, João do Carmo, interpelou o Governo na Assembleia sobre a política marítima. O partido já tinha demonstrado a  preocupação com o sector marítimo e as políticas que o Governo tem seguido. Introduzindo as políticas seguidas pelo governo anterior, João do Carmo fala da economia marítima como “um mar de oportunidades” para o PAICV.

“Com esta interpelação, pretendemos que o Governo explique o que está a fazer para não deixar que todo o trabalho financiado com recursos nacionais e mobilizados junto dos parceiros de desenvolvimento seja lançado ao mar”. Interpelação que inclui as políticas para as pescas e para o sector dos transportes marítimos, sendo este último aspecto o de maior preocupação para o PAICV.

“O actual Governo pretende, através da concessão única, criar um monopólio natural em detrimento da concorrência no mercado nacional, isto é, a eliminação dos armadores nacionais”, considerando que não deu aos nacionais qualquer possibilidade de participar no concurso. “Uma total deslealdade para com a classe”, considera o deputado.

“Este Governo tem uma péssima concepção do Estado: existe para fazer negócios ou favores a alguns, em áreas que não são essenciais para os cidadãos e para o país. Nas áreas essenciais, simplesmente não consegue acertar o passo”, referindo também as medidas anunciadas para a Cabo Verde Fast Ferry. João do Carmo recorre ao Orçamento de Estado para afirmar que o documento demonstra um abandono do sector, quando não contempla investimentos mínimos necessários para a segurança, sistemas de comunicação e controlo, questionando o projecto do Governo sobre a Zona Económica Exclusiva.

Não havia sector de economia marítima

O  MpD reagiu  afirmando que o governo do PAICV não deixou nenhum sector da economia marítima .A única coisa que havia era  uma sala onde trabalhavam duas pessoas no gabinete do Cluster do Mar . E concluíram que o actual governo não pode ser acusado de desmantelar uma coisa que não existia º

João Gomes, do MpD, avança que se o cluster do mar tivesse resolvido os problemas, não haveria necessidade de uma mudança. Para este deputado, não se espera que o Governo continue com as mesmas políticas quando estas não deram resultado. Para Gomes, o PAICV quer colocar os agentes marítimos contra o Governo para alcançar dividendos políticos.

Para o Ministro da Economia Marítima, as reformas do Governo foram necessárias para porem fim às estruturas de pouca eficácia em termos de competitividade. O Governo tem dito que o concurso internacional vai resolver os problemas dos transportes marítimos de cargas e pessoas e que os nacionais vão ter oportunidade de continuar a operar. Sobre a Zona Económica Exclusiva avança também que em Abril chega ao país uma equipa multidisciplinar para trabalhar com uma equipa nacional no projecto de Zona Económica Exclusiva, e que espera que o projecto fique pronto em menos de seis meses.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.