Ministro da Cultura em Paris para entregar o dossiê de candidatura da morna a Património Imaterial da Humanidade 

26/03/2018 06:55 - Modificado em 26/03/2018 06:55
| Comentários fechados em Ministro da Cultura em Paris para entregar o dossiê de candidatura da morna a Património Imaterial da Humanidade 

O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas já se encontra em Paris (França) onde vai entregar, segunda-feira, 26, na UNESCO, o dossiê técnico que marca a inscrição da morna como candidata a Património Imaterial da Humanidade.

Abraão Vicente, que se faz acompanhar pela secretária executiva da Missão Nacional da UNESCO (CNU),  Stéphane Brito, decidiu entregar pessoalmente a candidatura, em vez de delegar funções a um técnico.

Conforme explicou, durante a cerimónia de entrega simbólica do dossiê por parte do presidente do Instituto do Património Cultural,  Jair Fernandes, no passado dia 21, este foi um trabalho “científico e importante” para o país, por isso era necessária a presença de um membro do Governo.

Segundo disse a RCV na tarde de sexta-feira 23, antes de partir para Paris, 1500 euros foi o montante investido no processo da candidatura, por isso o desejo de toda a diplomacia cabo-verdiana “a advogar junto da UNESCO” o estatuto de Património Imaterial da Humanidade para a morna.

Avançou ainda que vai pedir ao Presidente da República que também se desloque a Paris para o efeito.

A entrega formal do dossiê acontece na segunda-feira, 26, às 17:00 (15:00 de Cabo Verde).

Entretanto, só em Dezembro de 2019 que Cabo Verde terá a resposta por parte da UNESCO sobre a candidatura preparada pela equipa do Instituto do Património Cultural (IPC), liderada pelo presidente  Hamilton Jair Fernandes, e coordenada pela técnica Sandra Mascarenhas.

Para o ministro, Cabo Verde tem todas as possibilidades de ter uma candidatura de sucesso junto da UNESCO, pela qualidade técnica do dossiê, pois este espelha a “alma o povo cabo-verdiano”.

A classificação da morna, assegurou, para além do reconhecimento da língua crioula como instrumento para cantar a morna, é o reconhecimento da “alma da nação”, uma vez que a morna acompanha o cabo-verdiano do nascimento, com o “guarda cabeça da criança, até a morte.

Para além do vídeo de 10 minutos e de fotografias, o dossiê conta ainda com declarações de apoio, levantamento a nível nacional e na diáspora das autorizações dos autores e dos compositores e toda a narrativa a explicar a importância da morna.

Recentemente, o Parlamento instituiu a data para a celebração do Dia Nacional da Morna, a 03 de Dezembro, dia do nascimento de B. Léza, e em homenagem a todos os compositores e intérpretes deste género musical.

O diploma, aprovado por unanimidade, enquadra-se na estratégia delineada no processo de candidatura da morna a património imaterial da Humanidade.


Inforpress

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.