Duas  tonelas  de cocaína com destino à Europa  interceptadas no Porto de Santos

26/03/2018 06:54 - Modificado em 26/03/2018 06:54
| Comentários fechados em Duas  tonelas  de cocaína com destino à Europa  interceptadas no Porto de Santos

As autoridades acreditam que os criminosos tenham utilizado uma técnica conhecida como rip-on/rip-off, que consiste em esconder uma carga irregular em um carregamento legal para justamente despistar a fiscalização.

Equipes da Receita Federal conseguiram interceptar 2.052 kg de cocaína que estavam prontos para serem embarcados para a Europa em um navio, no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, nesta sexta-feira (23). Trata-se da maior apreensão da droga realizada de única vez já registrada no complexo portuário.

O flagrante ocorreu em um terminal de contêineres na Margem Esquerda do cais, em Guarujá. Durante vistoria nas caixas metálicas, após análise de risco, equipes da Alfândega conseguiram localizar centenas de tabletes do entorpecente em meio a cargas legais e declaradas de café, açúcar e proteína de soja.

A cocaína estava escondida em três contêineres, que têm como destino os portos de Algeciras, na Espanha, de Hamburgo, na Alemanha, e de Le Havre, na França. As caixas embarcariam no navio Cap San Marco, previsto para atracar ainda neste fim de semana na instalação, conforme informações da autoridade portuária.

Alguns tabletes de cocaína estavam escondidos em meio a sacas de café (Foto: G1 Santos)

Em um dos contêineres, havia 1,1 tonelada de cocaína, em outro 500 kg, e no terceiro o restante. As autoridades acreditam que os criminosos tenham utilizado uma técnica conhecida como rip-on/rip-off, que consiste em esconder uma carga irregular em um carregamento legal para justamente despistar a fiscalização.

A Polícia Federal foi acionada e auxiliou nos trabalhos do Fisco. A suspeita é de que as malas com cocaína tenham sido colocadas nos contêineres antes deles entrarem no terminal. Uma investigação será aberta para identificar os envolvidos na tentativa de embarque clandestino e os responsáveis pelos carregamentos.

 

 

g1.globo.com

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.